ONU anuncia segunda ronda de negociações na Líbia para 9 de dezembro

Tripoli, Líbia (PANA) - Um novo ciclo de diálogo político entre os Líbios realizar-se-á a 9 de dezembro corrente depois de uma consulta de diferentes protagonistas líbios, anunciou terça-feira última a Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (MANUL).

Num comunicado divulgado no seu site Internet, a MANLUfrisou que serão dados mais pormenores para o efeito nos próximos dias.

A nota reiterou que a MANUL contactou a maioria das partes em conflito na Libia para tentar encontrar meios com vista a pôr termo à crise política e de segurança no país através do diálogo.

Para os diferentes atores na Líbia, só a única via do diálogo político global pode resolver a crise para cessar os combates e pôr termo aos sofrimentos dos civis.

A seu ver, o diálogo pode garantir o processo político e o funcionamento da transição, bem como a preservação da soberania, a integridade territorial da Líbia e a unidade nacional, indica o comunicado.

O Congresso Geral Nacional (CGN), Parlamento cessante, apelou à MANUL a fazer consultas convocando uma reunião preparatória para delimitar as partes em conflito, as bases e os procedimentos do diálogo.

O chefe da MANUL, Bernardino Leon, iniciou, nos últimos dias, concertações para lançar a segunda fase do diálogo nacional, designada Ghadamès II, destinada a reunir os protagonistas da crise líbia.

O primeiro-ministro líbio, Abdallah Al-Theni, declarou segunda-feira aceitar o princípio de participar num diálogo com protagonistas líbios sob a égide do Sudão que acolhe a 4 de dezembro corrente uma conferência ministerial dos países vizinhos da Líbia.

A capital etíope, Addis Abeba, acolhe, nesta quarta-feira, uma reunião do Grupo de Contacto da Comissão da União Africana (CUA) para a Líbia destinada a "acompanhar os esforços de paz e os que visam reconstruir a Líbia".

Confrontada com uma dupla crise política e de segurança, a Líbia tem dificuldade em encontrar uma saída política apesar dos esforços da comunidade internacional e dos países vizinhos contrariados pela vontade dos beligerantes líbios de resolver o seu diferendo recorrendo às armas.

-0- PANA BY/IS/SOC/MAR/DD 03dez2014



03 Dezembro 2014 11:50:27




xhtml CSS