Nações Unidas apoiam estratégia para criação de emprego em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) – O Governo de Cabo Verde e o Sistema das Nações Unidas (SNU) no país vão implementar um Programa de Apoio à Estratégia Nacional de Criação de Emprego, no período 2014-2016, apurou a PANA, na capital cabo-verdiana de fonte oficial.

As duas partes assinaram, terça-feira, na cidade da Praia, um acordo visando a levar a cabo este programa, financiado pelo Governo de Luxemburgo com dois milhões de dólares americanos.

O empreendimento vai permitir o reforço dos serviços públicos de emprego, tornando-os mais dinâmicos na procura e oferta do mercado de trabalho.

Depois de assinar o documento, a coordenadora do SNU, Ulrika Richardson-Golinski, recordou que o desemprego é um dos “grandes desafios” tanto em Cabo Verde (onde atinge 16,8 porcento da população) como noutros países.

O desemprego afeta sobretudo a camada juvenil que precisa de uma “especial atenção” por parte dos Governos, da sociedade civil e da comunidade internacional, defendeu.

A coordenadora da SNU adianta que este programa vai ter em conta a visão de Cabo Verde para o futuro e a evolução da população jovem.

Por sua vez, o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, José Luís Rocha, que representou o Governo na cerimónia, considerou que o programa de apoio à Estratégia Nacional de Criação de Emprego, inserido no âmbito da consolidação das instituições e da democracia, vai ajudar Cabo Verde a ultrapassar um dos grandes desafios do mundo atual que é o desemprego.

Segundo ele, o desemprego é um setor “extremamente sensível” não só em Cabo Verde mas sim “um pouco por todo mundo”, num contexto onde as economias podem crescer no plano económico e resolver essa questão.

Presente no ato, a ministra da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos, Janira Hopffer Almada, revelou que o gesto vai permitir ao Governo criar condições de promover um conhecimento mais aprofundado do mercado de trabalho cabo-verdiano, melhorar e reavaliar as políticas de modo a recentrá-las na perspetiva de melhorar o seu impacto sobretudo no seio dos jovens e das mulheres.

Janira Hopffer Almada garantiu ainda que o programa vai proporcionar também um apoio a micro e pequenas empresas, reforçando e consolidando “a perspetiva de implementar de forma proficiente o empreendedorismo”, em Cabo Verde.

Do seu ponto de vista, é preciso criar condições para o surgimento de outras pequenas e medias empresas no país.

-0- PANA CS/DD 26mar2014

26 Março 2014 16:06:59


xhtml CSS