Agência Panafricana de Notícias

PANA consternada com morte de delegado da ANGOP no Senegal

Luanda, Angola (PANA) - A Agência Pan-Africana de Notícias (PANAPRESS) exprimiu terça-feira a sua "tristeza e consternação" pela morte do delegado da Agência Angola Press (ANGOP) em Dakar (Senegal), Dinis Carlos Mayele, ocorrida a 13 de outubro corrente na capital angolana, Luanda, por doença.

"É com muita tristeza e consternação que tomamos conhecimento da dolorosa notícia do desaparecimento do nosso confrade e amigo Dinis Carlos Mayele", refere uma mensagem de condolências endereçada pelo diretor-geral da PANAPRESS, Babacar Fall, ao presidente do Conselho de Administração da ANGOP, Manuel da Conceição.

Na sua carta, o diretor-geral da PANAPRESS enaltece as qualidades profissionais de Dinis Mayele bem como o seu contributo pessoal no reforço das relações de cooperação entre as duas agências noticiosas.

Segundo Babacar Fall, o finado, que foi igualmente representante permanente da ANGOP junto da PANAPRESS sediada em Dakar, capital senegalesa, "contribuiu grandemente para o melhoramento e o reforço das boas relações existentes entre as nossas duas instituições".

"Ele (Dinis Mayele) batalhou bastante pelo êxito e pelo desenvolvimento de uma agência africana profissional e de grande qualidade", declara Babacar Fall.

Nesta dolorosa circunstância, prossegue a nota, "transmitimo-vos as mais sentidas condolências do Conselho de Administração, da Direção Geral e do pessoal da PANAPRESS".

No mesmo documento, Babacar Fall pede igualmente a Manuel da Conceição que transmita "à família, aos colegas e aos amigos (de Dinis Mayele) em Angola o nosso sentimento de compaixão".

Dinis Carlos Mayele morreu por doença aos 60 anos de idade depois de permanecer internado durante alguns dias na Clínica Sagrada Esperança, em Luanda, quando se preparava para regressar a Dakar no termo de uma missão de serviço no seu país.

Ele exercia as funções de delegado da ANGOP no Senegal e representante permanente desta agência junto da PANAPRESS em Dakar desde junho 2001, após a assinatura de um acordo de cooperação entre as duas instituições para a criação do serviço português desta última.

No quadro deste acordo, a ANGOP participa, desde janeiro de 2003, na operacionalização do serviço português da PANAPRESS com recursos humanos e financeiros, sendo o seu funcionamento assegurado por três jornalistas angolanos e correspondentes dos demais países africanos de língua oficial portuguesa bem como pessoal recrutado localmente em Dakar.

A PANAPRESS, também conhecida como PANA, é uma agência noticiosa de âmbito continental que emite igualmente em francês, inglês e árabe.

-0- PANA IZ 17out2012