Itália quer contribuir para estabilização da região do Sahel Africano

Roma, Itália (PANA) - A ministra italiana da Defesa, Elisabetta Trenta, defendeu a necessidade de alargar a contribuição do seu país para a estabilização da região do Sahel africano no quadro do que chamou de "compromisso renovado assumido pela Europa para a estabilidade e o desenvolvimento do grande continente africano".

Trenta precisou, num discurso pronunciado na abertura do novo ano académico do Centro de Estudos Defensivos de Roma, que este alargamento do compromisso de Itália compreende a missão militar no Níger no quadro de um esforço conjunto americano-europeu para  estabilizar a região e reforçar as capacidades dos países de dominar a situação no terreno.

Este apoio não é destinado só às autoridades nigerinas, mas também às dos países-membros do "G5 Sahel" que agrupa a Mauritânia, o Mali, o Níger, o Burkina Faso e o Tchad.

Trenta anunciou, em setembro passado, o arranque oficial da missão militar de formação italiana no Níger "para ajudar as autoridades autárqucias a controlar o seu solo".

A missão militar em questão foi objeto de anúncio pelo Governo do antigo primeiro-ministro, Paolo Gentiloni, e obteve a aprovação do Parlamento italiano no início do ano, mas tem um atraso devido a diferendos entre os responsáveis em Niamey e a rejeição implícita de França, indicou a imprensa italiana.

-0- PANA YY/IN/BEH/SOC/MAR/IZ 31out2018

31 Outubro 2018 11:25:50


xhtml CSS