Israelitas acusados de armar rebeldes em Darfur

Cartum- Sudão (PANA) -- Três israelitas terão alegadamente confessado estarem a fornecer armas a dois grupos rebeldes de Darfur, oeste do Sudão, que lutam contra o governo sudanês, revelou sábado a imprensa sudanesa.
Citando fontes jordanianas, a imprensa sudanesa indica que três israelitas detidos e interrogados pelas autoridades jordanianas confessaram estarem a fornecer armas ao Movimento de Libertação do Sudão (SLM) e ao Movimento para a Justiça e Igualdade (JEM), que lançaram uma insurreição em Fevereiro de 2003 para reivindicar uma maior autonomia para a região.
De acordo a mesma imprensa, um suposto líder da alegada rede israelita de tráfico de armas estaria a operar uma empresa militar em Tel Aviv, treinando forças militares em África não mencionadas.
Porém, um responsável do Ministério israelita dos Negócios Estrangeiros qualificou tais alegações de "estranhas".
O governo sudanês acusou muitas vezes Israel e a Alemanha de apoiarem os rebeldes em Darfur.
"A informação sobre o envolvimento de Israel no abastecimento de armas aos rebeldes de Darfur está correcta", declarou o ministro sudanês do Interior, Mohammed Haroun, acrescentando que "os envolvidos na conspiração foram detidos por uma agência de inteligência de um país amigo e as investigações sobre o caso prosseguem".
Entretanto, Israel, que não tem relações diplomáticas com o Sudão diz estar a colaborar com grupos judeus nos Estados Unidos para enviar uma ajuda humanitária para Darfur, onde cerca de dois milhões de pessoas foram deslocadas e milhares de outras mortas pela guerra.

09 Janeiro 2005 17:57:00




xhtml CSS