Investimentos líbios "revolucionam" mercado zambiano das telecom

Lusaka- Zâmbia (PANA) -- O crescente papel de investidor desempenhado pela Líbia em África estendeu-se à Zâmbia, onde aquele país da África do Norte apostou no setor das telecomunicações com a aquisição de 75 porcento da empresa nacional de telecomunicações, a Zambia Telecommunication Company (Zamtel).
Orçado em mais de 380 milhões de dólares americanos, este investimento é considerado como a maior transação desde o início do processo de privatização na Zâmbia nos anos 90.
Nos termos dum acordo assinado com o Governo zambiano, em Junho último, a Libya African Investment Portfolio (LAP) Green Networks comprometeu-se a pagar 257 milhões de dólares americanos para a compra dos 75 porcento da Zamtel mais 127 milhões de dólares americanos adicionais para financiar a expansão da sua rede.
De acordo com a Agência Zambiana de Desenvolvimento (ZDA), a LAP Green Networks vai igualmente financiar um plano de atividades de cinco anos consagrado à modernização das infraestruturas de rede e o sistema de apoio da empresa no quadro da sua revitalização.
O Governo zambiano conserva 25 porcento da Zamtel e vai continuar a desempenhar um papel ativo na gestão e na direção da empresa, mantendo dois dos sete assentos do Conselho de Administração e o direito a veto em algumas decisões chaves relativas à empresa.
As autoridades zambianas, através do seu ministro das Finanças e Planeamento Nacional, Situmbeko Musokotwane, não tardaram a manifestar a sua satisfação pelo negócio e pelo preço praticado.
Segundo o ministro Musokotswane, a LAP Green Networks assegurou que uma parte significativa dos fundos resultantes desta transação foi reservada ao pagamento dos subsídios de despedimento de dois mil 341 empregados da Zamtel.
No âmbito deste processo, a LAP Green Networks vai conservar uma parte da mão-de-obra, que seja suficiente para explorar a Zamtel de forma otimizada e conforme o seu plano de atividades de cinco anos.
No entender de Situmbeko Musokotswane, o seu Governo acaba assim de criar, com este negócio, as condições para a conclusão do "maior processo de privatização da história da Zâmbia".
"Congratulamo-nos com a assinatura do acordo com a LAP Green Networks, que dispõe de recursos e experiência no setor africano das telecomunicações, para restruturar a Zamtel e introduzir mudanças rápidas e tangíveis", disse Musokotwane após a assinatura do acordo.
Ele indicou que, com este acordo, foi dado um "grande passo" rumo à revitalização do mercado zambiano das telecomunicações e para garantir que mais pessoas tenham acesso a serviços mais acessíveis, incluindo a internet de alta velocidade, contribuindo assim e beneficiando a economia digital.
A LAP Green Networks é uma parte da LAP que foi constituída em 2006 como veículo do investimento estrangeiro da Líbia consagrado essencialmente à contribuição no desenvolvimento das economias africanas.
Esta entidade governamental começou com um capital de 50 biliões de dólares americanos.
O seu presidente diretor-geral, Abdulbaset Elazzabi, disse que o anúncio da LAP Green Networks como comprador privilegiado da Zamtel foi "altamente importante" para a sua firma.
"Trata-se do maior investimento que já efetuamos até hoje", disse Elazzabi após a assinatura do acordo, notando que a Zâmbia "é um elemento chave da nossa estratégia mais ampla que consiste em construir redes de telecomunicações pelo continente africano", disse.
"Estamos muito satisfeitos por termos sido designados pelo Governo zambiano para sermos o seu parceiro a nível da Zamtel", reforçou.
Elazzabi explicou que a LAP Green Networks tem suficiente experiência para transformar a Zamtel como o fez com empresas similares noutros países em que se implantou, tais como o Uganda, o Ruanda, o Sudão Sul e a Côte d'Ivoire.
Por seu turno, o ministro zambiano da Comunicação, Geoffrey Lungwangwa, corroborou que a implantação da firma líbia "reforçará o desenvolvimento das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) na Zâmbia".

11 Outubro 2010 11:55:00




xhtml CSS