Investigador cabo-verdiano ganha prémio mundial em engenharia eletrotécnica

Praia, Cabo Verde (PANA) – O investigador cabo-verdiano Alírio Boaventura, de 29 anos de idade, venceu o prémio "Graduate Fellowship" atribuído pelo Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrónicos (IEEE), a maior e mais emblemática organização em engenharia eletrotécnica do mundo, soube a PANA, sexta-feira, de fonte oficial.

Segundo a agência cabo-verdiana de notícias (Inforpress), que cita um jornal da cidade portuguesa de Aveiro, em cuja Universidade o laureado está a concluir a tese de doutoramento, Alírio Boaventura é o primeiro investigador em Portugal e dos poucos no mundo a ser distinguido com o “Graduate Fellowship” do IEEE.

Além do prémio do IEEE referente a 2013, atribuído a apenas dez investigadores em todo mundo, Alírio Boaventura foi nomeado para o ‘best student paper’ no International Microwave Symposium (2011).

O investigador, natural da ilha cabo-verdiana de Santo Antão, já tinha sido distinguido na conferência internacional RFID-Technology and Applications como “jovem investigador com potencial para investigação em identificação por radiofrequência”.

Neste certame, ele venceu o Prémio ANACOM-URSI pelo trabalho apresentado na área da rádioelectricidade, abordando formas eficientes de transmitir energia sem fios.

Em entrevista ao http://uaonline.ua.pt, a 10 de fevereiro último, Alírio Boaventura disse ter sido atraído pela eletrónica e pelas telecomunicações ainda no liceu.

Considerado como um dos melhores alunos no ensino secundário em Cabo Verde, o jovem investigador desenvolveu, na altura, um transmissor de televisão caseiro com o qual fazia emissão televisiva para a vizinhança.

Quando terminou o ensino secundário, com média de 19 valores, Alírio Boaventura recebeu uma bolsa de mérito para estudar na Universidade de Aveiro onde, em 2009, concluiu o mestrado em Engenharia Electrónica e Telecomunicações, no Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática (DETI), estando atualmente a concluir a tese de doutoramento na Universidade de Aveiro.

Após a tese de doutoramento, Alírio Boaventura pretende virar-se para a vertente empresarial e de empreendedorismo.

“A minha próxima meta a curto e médio prazos é fazer valer as competências adquiridas durante a formação universitária e a especialização doutoral, combinadas com alguma experiência que ficou de uma breve passagem pela indústria, para colocar cá fora produtos vendáveis, de elevado valor tecnológico e altamente competitivos”, afirmou.

Num horizonte a médio e longo prazos, o investigador pretende conciliar a vertente empresarial com a académica provavelmente em Cabo Verde.

O IEEE é uma organização profissional sem fins lucrativos fundada nos Estados Unidos da América, em 1963, pela fusão do Instituto de Engenheiros de Rádio (IRE) com o Instituto Americano de Engenheiros Eletricistas (AIEE).

-0-  PANA  CS/TON  21fevereiro2014

21 Fevereiro 2014 15:09:34


xhtml CSS