Inquérito exigido após morte de mais de 10 reclusos em posto policial em Brazzaville

Brazzaville, Congo (PANA) – O diretor executivo do Observatório Congolês dos Direitos Humanos (OCDH), Tresor Nzila Kendet, exigiu terça-feira em Brazzaville, a abertura dum inquérito judicial e administrativo para determinar a causa da morte de mais de 10 prisioneiros do posto policial de Chacon, em Mpila, bairro do nordeste da referida cidade.

Segundo ele, o comissário do posto de segurança de Chacona deve ser suspenso das suas funções até que seja elucidada a morte dos prisoneiros nas suas celas.

"Como é possível que mais de 10 pessoas tenham morrido num posto de Polícia onde a sua segurança devia ser garantida por lei?", interrogou-se.

Sendo o local de detenção um lugar público, acrescentou, responsabilidades devem ser apuradas para se saber de que estas pessoas morreram, acrescentou Kendet, exprimindo as suas preocupações relativamente às causas destas mortes.

“Pais contactados afirmaram-nos que alguns corpos apresentavam marcas de sevícias. Portanto, temos suspeitas de atos de tortura que tenham provocado estas mortes. Nos próximos dias, vamos procurar a saber um pouco mais sobre este caso", indicou o defensor dos direitos humanos.

Segunda-feira de manhã, no posto de segurança do bairro Chacona, em Mpila, mais de 10 corpos foram descobertos nas celas, dos quais dois depositados na morgue do Hospital de Talangai, bairro do sul de Brazzaville.

Segundo algumas pessoas, estes prisioneiros teriam morrido asfixiados, ao passo que outros alegam como causa uma disputa entre grupos de bandidos denominados "bebés negros" que teria degenerado.

Seja como for, apenas uma perícia séria determinará a verdadeira causa destes mortos, segundo observadores.

-0- PANA MB/BEH/SOC/FK/DD 25julho2019

25 Julho 2018 12:32:12


xhtml CSS