Iniciado em Dakar "Atelier" sobre imprensa privada em África

Dakar- Senegal (PANA) -- Uma mesa redonda internacional sobre a "Gestão de um jornal em tempo de crise" iniciou-se terça-feira em Dakar, na presença de responsáveis de cerca de 50 publicações privadas de vinte países africanos.
"Trata-se de fazer um balanço da imprensa indepedente em África durante os dez últimos anos e traçar persectivas para a próxima década", declarou na abertura do "atelier" a responsável do projecto médias da AIF, Marie-Soleil Frère.
A AIF comprometeu-se a reforçar as capacidades da imprensa escrita privada em África e para ela, importa agora reforçar a independência dos jornais, o seu professionalismo e a transparência da sua gestão", salientou Maria-Solei Frère.
Os participantes, precisamente jornalistas anglófonos, lusófonos e francófonos, debaterão principalmente questões ligadas à formação em gestão dos recursos humanos, recolha de informação, ética e deontologia profissional.
"Após dez anos de processo democrático nos nossos países, a liberdade da imprensa fez progressos consideráveis.
Mesmo se os sacrifícios foram penosos e em situações muitas das vezes dramáticas, registamos conquistas e avanços incontestáveis em matéria de liberdade da imprensa", sublinhou por sua vez Omar Belhouchet, o director da publicação "El Watan" (um diário argelino) e um dos prelectores do "atelier".
Este encontro de três dias, o primeíro de género, foi co- organizado pela União de jornalistas da África ocidental (UJAO), Agência inter-governamental da Francofonia (AIF) e Open Society for West Africa (OSIWA).

12 Março 2003 09:54:00




xhtml CSS