Imprensa sul-africana condena guerra contra o Iraque

Joanesburgo- África do Sul (PANA) -- O ataque liderado pelos Estados Unidos contra o Iraque fez manchete nos jornais sul-africanos de quinta-feira, com o "Citizen" a titular: "Aliados atacam Iraque" enquanto o "Sowetan" abria a sua página com o título: "Primeira ofensiva-Retaliação iraquiana".
Outro jornal, o "Star" titulou em manchete: "Into the Storm" (Dentro da Tempestade).
Os jornais que saíram na madrugada de quinta-feira trazem fotos onde são mostrados aviões de combate da "Royal Air Force" (Força Aérea Britânica) a sobrevoar os campos petrolíferos do sul do Iraque.
O artigo do "Sowetan" iniciou com uma citação do sul-africano laureado com o Prémio Nobel da Paz, Desmond Tutus: " Esta será uma guerra injustuficável e por ser injustivicável é imoral.
E se é imoral, em minha opinião, é também demoníaca".
Ao comentar o início da guerra no Iraque, o jornal independente "Sowetan" disse que mesmo depois de ter escrito sobre a guerra no Iraque, continuava ainda convicto de que esta guerra não era a única opção para desarmar Saddam Hussein.
"Nós partilhamos o profundo sentimento de indignação com a restante parte da comunidade anti-guerra da forma como foram espezinhadas as normas do sistema internacional".
"Depois da guerra, será bastante tentador para muitas nações, que até agora sempre respeitaram o jogo do ordenamento internacional, optar pelo proteccionismo e o unilateralismo.
Seria lamentável se tal acontecesse: Mas só George Bush, o Presidente Americano, deveria ser responsabilizado por esta eventualidade", afirmou o "Sowetan".
O jornal apelou as nações anti-guerra cujas vozes foram abafadas pelo troar das bombas da guerra para não atirarem a toalha ao tapete, acrescentando que os membros da ONU devem garantir que a sua reputação e legitimidade sejam preservadas e que passos urgentes sejam dados para fortalecer a sua autoridade sobre todos membros.
"Ao passar por cima da ONU, os EUA e a Grã-Bretanha inspiraram, irononicamente, muita simpatia para com Saddam", disse o Sowetan.
O jornal concluiu, entretanto, que mesmo que Saddam cooperasse com os inspectores de armas da ONU nas últimas semanas, ninguém sabe qual seria o próximo passo.

20 Março 2003 12:28:00


xhtml CSS