Imprensa privada mauritana denuncia aumento de custos de impressão

Dakar- Senegal (PANA) -- Responsáveis de 18 órgãos da imprensa privada na Mauritânia decidiram suspender a saída das suas publicações no início de 2008 até nova ordem, para protestar contra "um aumento vertiginoso" das tarifas de impressão pela Gráfrica Nacional, anunciou um comunicado recebido terça-feira pela PANA em Dakar.
A Gráfica Nacional justificou o aumento das tarifas pelo facto de "o Estado não ter concedido a subvenção prometida", indica o comunicado.
Paralelamente a estes dias sem imprensa, os órgãos privados mauritanos decidiram igualmente iniciar uma campanha para protestar contra a "lentidão excessiva" da aplicação da reforma da imprensa, bem como contra a ausência de subvenção em 2007 e de mecanismos transparentes para a concessão das assinaturas e dos anúncios publicitários públicos.
A imprensa privada denuncia igualmente as dificuldades de acesso às fontes de informação, a predominância da anarquia no sector e o desrespeito das disposições previstas pela lei para a criação de órgãos de comunicação social.
Uma lei que aboliu a censura foi adoptada na Mauritânia em Outubro de 2006, durante a transição militar.
Contudo, os editores privados consideram que várias disposições previstas nesta nova legislação ainda não foram aplicadas.

02 Janeiro 2008 10:14:00




xhtml CSS