Imprensa maliana condena assassinato de Jean Hélène

Bamako- Mali (PANA) -- Os media malianos condenaram com veemência, na sua publicação de quinta-feira, o assassinato terça-feira à noite em Abidjan (Côte d'Ivoire), do correspondente permanente da Radio France Internationale (RFI).
O director de publicação do diário L'Indépendant, Saouti Haïdara, nota que o assassinato de Jean Hélène "mergulhou o mundo da imprensa no horror e na estupefacção e é só o sinal de uma degradação avançada das relações entre os governos ivoiriense e francês".
Louvou as qualidades de Jean Hélène que tinha a reputação de um profissional aguerrido.
O bisemanário Le Malien, após ter qualificado de crime e audacioso o assassinato de Jean Hélène, estima que "foi escrito algures que o nosso colega deixaria a sua pele no continente porque já cobriu o genocídio ruandês, enfrentou o sol somalí e viu muitos aspectos da morte na Libéria".
Em conferência de imprensa quarta-feira em Bamako, o presidente da União dos Jornalistas da África Ocidental (UJAO), Ibrahim Famakan Coulibaly, denunciou com veemência o assassinato do jornalista francês.
"Com o homicídio de Jean Hélène, é preciso receiar que o processo de paz em curso na Côte d'Ivoire não se afunde", concluiu.

23 Outubro 2003 20:37:00


xhtml CSS