Imprensa francesa e o 10º aniversário do genocídio ruandês

Paris- França (PANA) -- A imprensa francesa divulgou amplamente terça-feira a celebração, nesta quarta-feira, do 10º aniversário do genocídio ruandês de 1994, evocando nomeadamente o papel suspeito atribuido nalgums meios à França nesses massacres.
"Dez anos depois, Kigali comemora os massacres", titula assim o Le Figaro que afirma que a ausência da maior parte dos líderes ocidentais e onusinos na cerimónia provoca indignação de altos responsáveis internacionais, de organizações não governamentais e dos sobreviventes.
O diário recorda que a comunidade internacional assistiu em 1994, numa quasi-indeferênça, aos massacres no Ruanda, qualificados de "primeiro genocídio africano".
Realça a história e as causas do genocídio que vão das relações complexas e ambíguas que mantinham, há séculos, os hutu e os tutsi até à morte brutal do Presidente ruandês Juvénal Habyarimana a 6 de Abril de 1994.
Num artigo intitulado "França: silêncio sobre um apoio persistante", o Libération interroga-se sobre a implicação da França neste genocídio.
"Terá a França participado directamente no genocídio, como a acusou ainda recentemente o Presidente ruandês Paul Kagame? Será cúmplice dos genocídios Hutu do regime Habyarimana, como o afirmam várias ONG francesas?", questiona o jornal.
O Libération indica ainda que uma missão de informação parlamentar concluiu, em finais de 1998, que "à França faltou clarividência e não incitou, encorajou, ajudou nem apoiou os que orquestraram o genocídio e desencadearam-no nos dias que se seguiram ao atentado de 6 de Abril (1994)".
"França implicada no genocídio no Ruanda, segundo ONGs", titula por sua vez o Le Monde, que noticia que três Interahamwe (ex- milícias Hutu) testemunharam, num filme realizado em Fevereiro e Março no Ruanda e apresentado segunda-feira em Paris, a maneira como foram "treinados e ajudados" pela França.
"Os franceses concederam-nos a permissão de matar.
Vieram apoiar o genocídio de modo claro e visível", afirma assim um deles.
Um sobrevivente declara que "os franceses fizeram acreditar o mundo inteiro que vinham para nos salvaguardar, mas, verdadeiramente, fizeram parte dos que vieram fazer reinar o ódio étnico.

06 Abril 2004 12:17:00


xhtml CSS