Ilhas Maurícias acolhem ministras e parlementares africanas

Port-Louis- Maurícias (PANA) -- Uma reunião na qual participam cerca de 30 ministras e parlamentares africanas iniciou-se segunda-feira nas ilhas Maurícias, soube-se de fonte oficial na capital maurícia.
Durante o encontro, vários assuntos serão abordados, nomeadamente o exame dos desafios por ultrapassar no continente nos domínios da população e do desenvolvimento, do género, da saúde sexual e reprodutiva, assim como da luta contra o HIV/Sida, de acordo com a fonte.
Delegados vindos das ilhas Comores, do Djibuti, das ilhas Maurícias, de Madasgáscar, do Ruanda, do Níger, do Togo e das Seychelles tomam parte neste encontro promovido pela Rede das Mulheres Africanas Ministras e Parlementares (REFAMP).
Dirigindo-se aos delegados, a ministra maurícia dos Direitos da Mulher, Indranee Seeburn, estimou que os parlementares contituem um elemento importante na criação e na promoção de um ambiente eficaz.
"Enquanto mulheres parlamentares, devemos criar um espaço a fim de permitir às mulheres pouco habilitadas a fazerem ouvir a sua voz em relação às suas preocupações", declarou Seeburn.
A REFAMP, criada em 1994, à luz duma recomendação da Conferência Internacional sobre a População e o Desenvolvimento (CIPD) realizada no Egípto, encoraja a criação de redes ou comités nacionais que prosseguem objectivos comuns.
A organização estimula ainda os governos a tomarem medidas com vista a fazer da participação das mulheres na vida política uma realidade.

08 Outubro 2007 19:26:00




xhtml CSS