Yaoundé alberga um atelier sobre energias renováveis

Paris- França (PANA) -- Várias personalidades políticas, especialistas do sector energético e representantes de ONG's participarão a partir da segunda-feira próxima, em Yaoudé (Camarões), num atelier sobre as energias renováveis, soube-se quinta-feira em Paris de fonte onusina.
Segundo a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura), co-organizadora deste encontro cujo tema é "Qual é energia para a África?", as discussões, que vão até 20 de Dezembro, permitirão "a partilha dos últimos conhecimentos e habilidades sobre as energias renováveis".
O atelier será ainda uma ocasião para se fazer um balanço sobre a utilização das energias renováveis e apresentar as diferentes experiências sobre a eficácia dos métodos em uso, acrescentou a UNESCO.
Na África subsahariana, estima-se em 95 por cento, a população que não tém acesso à electricidade (.
.
.
).
A taxa global nas zonas rurais da região não ultrapassa os 65 por cento.
Nestas zonas, a única opção realística é produzir a energia a partir de fontes renováveis", indica um comunicado da UNESCO transmitido à PANA em Paris.
A análise da instituição onusina sobre este ponto é partilhada por numerosos peritos que estimam mesmo que todo desenvolvimento noutros sectores de actividades em África passa pelo domínio da energia.
"Não concebo, por minha parte, um desenvolvimento da telefonia em África sem uma união das telecomunicações e energia, nomeadamente a que pode ser produzida pelo sol, o vento ou a água", declarou à PANA Jean-Louis Fullsack, perito francês em telecomunicações Alem da UNESCO, a Organização islâmica para educação, ciências e cultura (ISESCO) e a Universidade católica de Louvain, (na Bélgica), participam nesta preparação do encontro de Yaoudé, inscrito no programa global de educação e formação sobre energias renováveis (GREETP), lançado pelas Nações Unidas.
"A falta de electricidade é geralmente um travão ao desenvolvimento, tornando impossível o armazenamento de vacinas e medicamentos, impedindo as crianças de estudar a noite", lamentam os organizadores do atelier.

12 Dezembro 2002 19:43:00


xhtml CSS