Xenofobia susceptível de ser debatida na Cimeira da UA

Cidade do Cabo, África do Sul (PANA) – A xenofobia deverá ser um tema de debate da Cimeira da União Africana (UA) prevista de 13 a 15 de junho corrente em Joanesburgo, na África do Sul.

Ironia do destino, o país anfitrião da Cimeira da UA dominou a imprensa mundial nos últimos anos devido a uma onda de violências xenófobas que causaram várias mortes entre  imigrantes africanos, enquanto milhares de outros buscaram refúgio nos campos ou regressaram aos seus países.

A África do Sul acolhe esta Cimeira da UA na última hora após o fracasso do Tchad por causa da ameaça representada pela seita islamita Boko Haram.

O Conselho de Paz e Segurança da UA realizou em abril uma reunião especial em Adis Abeba, na Etiópia, dedicada a esta crise.

A ministra sul-africana das Relações e Cooperação Internacionais, Maite Nkoana-Mashabane,  lançou mensagens de apaziguamento esta semana, lembrando que o Presidente Jacob Zuma atacou as consequências desta violência ao pronunciar um discurso perante os líderes africanos em abril último em Harare durante a Cimeira da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

O secretário-geral da Comissão da União Africana (CUA), Jean Mfasoni, disse durante uma conferência de imprensa antes da cimeira quarta-feira que "os acontecimentos recentes ocorridos aqui" poderiam acontecer em qualquer lugar em África.

Todavia, a África do Sul está totalmente consciente do ressentimento que este caso suscitou  em todo o continente e no resto do mundo.

A Polícia e o Exército sul-africanos continuam a procurar os autores das violências,  particularmente nas províncias de Gauteng e KwaZulu-Natal, palco das últimas violências  xenófobas.

-0-  PANA CU/SEG/NFB/DIM/TON  12junho2015


12 Junho 2015 14:56:07




xhtml CSS