Visita histórica do Secretário-Geral da ONU à Somália

Nairobi, Quénia (PANA) – O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, chegou sexta-feira a Mogadíscio, a capital somalí, no que é a primeira visita de alto nível dum diplomata internacional a este país do Corno de África desde que se afundou  no caos há 20 anos.

Nos seus primeiros encontros com os líderes somalís, Ban sublinhou a necessidade de se pôr termo ao mandato do Governo interino atual em agosto de 2012, e descreveu a Somália como um país que se encontra num « momento crítico » da sua história.

« Estamos honrados por visitar a Somália. Gostaríamos de agradecer-vos pelo vosso acolhimento e pela vossa hospitalidade. Estamos aqui para transmitir a nossa solidariedade ao povo de Somália”, disse.

A visita do chefe da ONU ocorre num contexto de operação militar em curso no sul da Somália, contra a milícia armada Al-Shabaab.

Os soldados quenianos no terreno afirmam que a operação militar reduziu a capacidade da milícia armada somalí de levar a cabo uma ofensiva militar complexa.

A operação privou as suas forças de armas, pessoal e seu alto comando militar, que  desertaram ou fugiram, explicou o comandante da operação militar queniana, coronel Cyrus Oguna.

Ban Ki-Moon, vestido dum colete antibala, chegou em visita surpresa a Mogadíscio, onde foi recebido no aeroporto pelo primeiro-ministro somalí, Abdiweli Mohamed.

« A nossa mensagem a todos os outros grupos na Somália, incluindo os Al-Shabaab, é que a paz, a segurança e os direitos humanos têm implicações regionais », declarou Ban Ki-moon à imprensa em Mogadíscio.

Ban Ki-moon, que viajou acompanhado do presidente da Assembleia Geral da ONU, teve, à sua chegada, uma série de reuniões descritas como "muito construtivas" com o Presidente Sheikh Sharif Ahmed e com outros líderes sobre o futuro e a natureza da ajuda que a comunidade internaconal poderá prestar.

« Havia a tendência, há alguns anos, de falar da Somália a pensar unicamente na fome ou no massacre. Quando se falasse da Somália, as pessoas quase sempre queriam mudar de assunto. Não vou fazer o mesmo. Desejo antes mudar a maneira como a Somália é percebida », declarou Ban Ki-moon, segundo o gabinete da Organização das Nações Unidas na Somália.

É a primeira vez que o presidente da Assembleia Geral e o Secretário-Geral das Nações Unidas efetuam uma visita à Somália.

Ban Ki-moon lembrou que a última visita dum Secretário-Geral da ONU à Somália remonta  a 18 anos (em 1993). « Estamos aqui para constatar in loco as mudanças em curso e mostrar a forte solidariedade das Nações Unidas e da comunidade internacional no seu todo».

Ele instou os líderes do Governo Federal de Transição a aproveitar « esta oportunidade », favorecida pelos êxitos militares registados nas diferentes regiões da Somália e consolidar a paz.

« Temos uma janela de oportunidade muito limitada », reconheceu, antes de acrescentar que esta oportunidade « reveste três dimensões, que parecem separadas mas que estão interligadas: a política, a militar e a humanitária », disse.

Esta visita teve lugar enquanto as milícias Al-Shabaab lançavam quatro ofensivas militares contra os soldados quenianos e outros da Missão da União Africana na Somália (AMISOM ).

O Quénia aceitou integrar as suas tropas na AMISOM, e o Parlamento e o Governo da Somália aprovaram este projeto, após um pedido oficial da União Africana há uma semana.

-0- PANA AO/BOS/NFB/TBM/IBA/MAR/IZ 09dez2011

09 Dezembro 2011 20:53:07


xhtml CSS