Violência xenófoba na África do Sul

Cidade do Cabo, África do Sul (PANA) – A tensão subiu na favela de Diepsloot, no norte de Joanesburgo, depois da resurgência de violência xenófoba na África do Sul.

A Polícia confirmou terça-feira a detenção de 47 pessoas depois da morte por um comerciante domingo de dois cidadãos zimbabweanos ainda não identificados.

O comerciante foi detido e inculpado por homicídio, mas pouco depois do incidente os habitantes da favela pilharam a sua loja.

Na altura em que a polícia intervinha para dispersar a multidão, os habitantes atacaram os estabelecimentos comerciais pertencentes a estrangeiros.

Por outro lado, o Greater Gauteng Business Forum (GGBF), uma associação de pequenos comerciantes, convidou segunda-feira os comerciantes estrangeiros que operam nos bairros da província mais rica e mais povoada da África do Sul a "regressar aos seus países".

O presidente da GGBF, Mpane Baloyi, afirmou que o Governo deve parar de emitir licenças de trabalho para os refugiados, pois eles "são uma ameaça para o comércio local".

O Governo condenou os ataques xenófobos, recordando que "a África do Sul é um país democrático que acolhe estrangeiros que vivem legalmente neste país".

Há cinco anos, uma onda de violências xenófobas em todo o país fez mais de 50 mortos.

-0- PANA CU/SEG/NFB/AAS/CJB/TON   28maio2013

28 Maio 2013 18:04:59


xhtml CSS