Violência no género causa homicídios em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) - A ministra cabo-verdiana da Administração Interna, Marisa Morais, revelou, no último fim de semana na cidade do Mindelo, na ilha de São Vicente, que a Violência Baseada no Género (VBG) é responsável pela maioria dos homicídios em Cabo Verde, soube a PANA de fonte oficial.  

A governante, que falava na inauguração da Esquadra de Investigação e Combate à Criminalidade da Polícia Nacional em São Vicente, recordou que, segundo as estatísticas do Instituto Cabo-Verdiano para Igualdade e Equidade de Género, em 2014 uma em cada 4 mulheres foi vítima de uma ou várias formas de VBG no arquipélago.

Marisa Morais revelou também que, com a entrada em vigor da lei que pune este tipo de crime, os dados aumentaram, sendo que entre 2010 e 2012 foi registado o triplo dos casos de VGB, principalmente contra as mulheres.

A violência interpessoal e a VBG são fenómenos que, segundo ela, têm sido motivo de grande preocupação para o Governo de Cabo Verde, um país que, segundo ela, “enfrenta vários problemas e tipos de criminalidade que exigem respostas múltiplas e diferenciadas”.

Marisa Morais considera que, para melhorar esta situação, é necessário um trabalho coletivo de educação e cidadania, ainda que isso exija tempo para produzir os resultados ambicionados.

A governante que tutela o setor da segurança interna no arquipélago sublinhou que outro fator que pode fazer face à violência é o trabalho que a Polícia Nacional tem vindo a desenvolver, apostando sempre na melhoria e na qualidade da sua atividade em todas as frentes.

Ela admitiu que o combate à violência interpessoal tem sido árduo e um trabalho exigente, mas aponta a prevenção como a melhor opção para se conseguir combater com eficácia esta situação.

“Para construirmos de novo a segurança social vai ser necessário continuar a trabalhar
ciente das dificuldades, continuar a investir numa política integrada e eficaz, seja no plano escolar, social, educativo, que contribua para transmissão de valores”, concluiu.

A ministra da Administração Interna apontou que a nova Esquadra de Investigação e Combate à Criminalidade inaugurada vai possibilitar uma melhor intervenção dos agentes da Polícia Nacional.

“Com esta nova esquadra, a Polícia passa a dispor das condições necessárias para melhor presença, visibilidade e capacidade policial de intervenção, que se traduz numa aproximação com a comunidade e permitirá uma melhor ligação entre a polícia e o cidadão a quem serve”,
precisou.

-0-  PANA  CS/TON 16fevereiro2015


16 Fevereiro 2015 18:27:51




xhtml CSS