Violência baseada no sexo atinge dimensão criminal no Mali

Banjul, Gâmbia (PANA) – A violência baseada no sexo atingiu uma "dimensão criminal" no norte do Mali, declarou esta terça-feira a relatora especial sobre os Direitos Humanos em África, Soyata Maïga.

Maïga fez  esta declaração por ocasião da 53ª sessão ordinária da Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos (CADHP) que se realiza em Serrekunda, na Gâmbia.

Segundo ela, os terroristas do grupo MUJAO e de outros movimentos jihadistas impuseram o Islão radical à população do norte do Mali, onde as mulheres são batidas em público, são vítimas de violações sexuais coletivas e os casais não casados são submetidos à lapidação.

A sessão, que termina a 23 de abril corrente, discutiu esta terça-feira sobre a sorte das mulheres em período de conflito.

Segundo Maïga, esta discussão visa partilhar as preocupações e as necessidades das mulheres no Mali, na República Centro-Africana (RCA) e na República Democrática do Congo (RDC) com vista a proteger as mulheres  e fazê-las participar nos esforços de negociação da paz em curso nestes países.

Ela exortou os Governos do Mali, da RCA e da RDC a envolver as mulheres nos esforços de negociação da paz, a proteger os direitos das mulheres e a pôr termo à impunidade dos autores de violências sexuais.

Pediu igualmente a estes três Governos para disponibilizar os recursos financeiros necessários para o apoio económico, social e psicológico das mulheres vítimas de violação e doutras formas de violência.

De acordo com Soyata Maïga, os países-membros da União Africana (UA) devem acelerar a aplicação da Declaração Solene sobre a Igualdade dos Sexos em África.

Ela exortou os países a ratificar o Protocolo de Maputo que garante um vasto elenco de direitos económicos e de bem-estar social para as mulheres.

-0- PANA MSS/VAO/NFB/AAS/IBA/FK/IZ 16abril2013

16 Abril 2013 21:38:28




xhtml CSS