Violações ligadas a restrições democráticas aumentam 164% na RDC

Kinshasa, RD Congo (PANA) – As Nações Unidas documentaram, de 1 de janeiro a 30 de junho deste ano, 428 violações dos direitos humanos e de liberdades fundamentais ligadas a restrições do espaço democrático no território da República Democrática do Congo (RDC),  representando um aumento de 164 porcento em relação a 2015, soube a PANA quinta-feira.

De acordo com uma nota do Gabinete Conjunto das Nações Unidas para os Direitos Humanos (BCNUDH) na RDC, o ano passado registou um total de 260 violações do género.

O BCNUDH indica que estas violações dos direitos humanos foram cometidas principalmente nas províncias do Alto Katanga, no sudeste da RDC (81 violações), Kivu-Norte no leste (69 violações) e em Kinshasa (51 violações).

Estas violações, acrescentou, foram perpetradas essencialmente por agentes da Polícia Nacional Congolesa (PNC, 241 violações), por autoridades político-administrativas (87 violações) e pela  Agência Nacional de Informações (ANR, 75 violações).

As principais vítimas destas violações são os membros de partidos políticos (335 vítimas) e de organizações da sociedade civil (105) bem como os profissionais da imprensa (31).

As violações mais relatadas são aos atentados ao direito à liberdade e à segurança da pessoa (126) seguidas pelos atentados à liberdade de reunião pacífica (121) e à liberdade de opinião e de expressão (104).

-0- PANA KON/BEH/SOC/MAR/IZ 15julho2016

15 Julho 2016 12:08:41


xhtml CSS