Vice-Presidente gambiana defende autonomia das mulheres africanas

Banjul- Gâmbia (PANA) -- A Vice-Presidente da Gâmbia, Isatou Njie- Saidy, defendeu, quinta-feira, o aumento dos esforços para uma maior autonomia das mulheres africanas, sublinhando que "a sua promoção significa o desenvolvimento para todos".
Falando na abertura dum fórum das mulheres organizado em Serre Kunda, capital económica da Gâmbia, na véspera da cimeira da União Africana prevista para Julho próximo em Banjul, Njie-Saidy afirmou que o papel das mulheres nas missões de paz, na resolução de conflitos e de outros assuntos da sociedade permanece "essencial e indispensável".
"Como mulheres e advogadas dos direitos das mulheres, devemos convencer todos de que as mulheres são ao mesmo tempo parceiras activas e beneficiárias legítimas do desenvolvimento", sublinhou, explicando que o reforço da posição das mulheres em qualquer sociedade tem repercusões noutros membros desta sociedade, incluindo os homens.
Afirmou que "a participação das mulheres nas tomadas de decisão é uma estratégia excelente e eficaz para um desenvolvimento socio-económico global".
Citando o antigo Presidente tanzaniano, Julius Nyerere, a Vice- Presidente gambiana disse que nenhum homem "pode ir muito rápido ou muito longe com um pé".
"Por conseguinte, precisamos ao mesmo tempo das pernas das mulheres e dos homens para que o nosso continente pare de coxear e acelere o passo para se juntar aos outros continentes do planeta e assim realizar o sonho de Renascimento Africano", defendeu.
O fórum das mulheres, que contou com a participação de mais de 100 mulheres activistas dos direitos humanos de África e de outros lugares, inscreve-se numa série de actividades e programas que antecedem a cimeira dos chefes de Estado da UA prevista para 1 e 2 de Julho na capital gambiana.
O tema do fórum é "Promoção da Participação das Mulheres na Governação nos Países Saídos de Conflito".

23 june 2006 10:45:00


xhtml CSS