Vice-Presidente gambiana advoga unidade africana

Banjul- Gâmbia (PANA) -- A reunião dos ministros africanos dos Negócios Estrangeiros em Banjul, em prelúdio à cimeira da União Africana (UA) agendada para 1 a 3 de Julho próximo na mesma cidade, oferece a ocasião de elaborar novas estratégias para se avançar para o objectivo final da unificação de África, declarou quarta-feira a Vice-Presidente gambiana Isatou Njie-Saidy.
"Devemos suprimir todos os obstáculos ao longo do nosso caminho e reagir aos sérios desafios económicos, políticos e sociais a que fazemos face no mundo", sugeriu Njie-Saify quando falava quarta-feira durante a sessão de abertura da reunião dos ministros africanos dos Negócios Estrangeiros que deve preparar a agenda da cimeira dos chefes de Estado e de governo da UA.
"Outros continentes progridem rapidamente e devemos recuperar a nossa glória do passado.
Vocês ministros vão apreciar, no seu justo valor, as questões essenciais nas suas mãos e propor recomendações apropriadas aos chefes de Estado e de governo", disse a Vice- Presidente gambiana, acrescentando que "o nosso povo está na espectativa e não o podemos decepcionar".
A reunião dos chefes da diplomacia africana abordará questões ligadas à harmonização e integração das comissões económicas regionais (CER), o que é essencial para a integração total de África, tema da sétima cimeira dos chefes de Estado.
Os ministros vão igualmente discutir esforços para regular os numerosos conflitos em África, particularmente na RD Congo, na Côte d'Ivoire, na Somália e em Darfur, oeste sudanesa.
Outras questões da agenda deste fórum, que constituem o conselho executivo da UA, concernem à crise financeira da Comissão da UA, à migração, à livre circulação de pessoas e bens e ao passaporte diplomático africano.
O presidente do Conselho Executivo e ministro dos Negócios Estrangeiros do Congo, Rodolphe Adada, declarou por sua vez que os ministros estão satisfeitos com recomendações dos embaixadores que preparam a agenda do seu encontro em Banjul.
De acordo com Adada, um compromisso político forte dos dirigentes africanos é necessário para a realização da integração regional que é um objectivo final da UA.
Sublinhou igualmente ser importante encontrar uma solução para numerosos conflitos no continente a fim de lhe permitir enfrentar com firmeza os desafios da integração.
"Devemos resolver os problemas com determinação e apoiar os nossos irmãos e irmãs nas zonas em conflito", indicou.
O chefe da diplomacia congolesa assegurou por outro lado que a reunião desembocará em "recomendações realistas a submeter aos nossos chefes de Estado e de governo.
Devemos buscar um consenso largo sobre estas questões importantes".
Vários dignitários, dos quais o presidente da Comissão da UA, Alpha Oumar Konaré, presenciaram a cerimónia de abertura deste encontro ministerial.

28 Junho 2006 19:16:00




xhtml CSS