Vacinação contra rubéola e sarampo atinge taxa de 98,5% em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) – A taxa de cobertura de vacinação contra rubéola e sarampo  decorrida de 14 a 24 de outubro de 2013, em Cabo Verde, atingiu os 98,5 porcento, ultrapassando a meta estipulada pelas autoridades sanitárias do país (95%), apurou a  PANA terça-feira de fonte autorizada.

De acordo com os dados definitivos da campanha de vacinação divulgados terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a vacinação dos jovens entre 20 e 24 anos de idade atingiu uma cobertura de 95,3 porcento, enquanto a das crianças de zero a quatro anos foi de 99,9 porcento.

Quanto à dessegregação dos sexos, foram vacinados 98,2 porcento de indivíduos do sexo masculino e 98,9 porcento do sexo feminino.

Em termos de concelho, a taxa de vacinação atingiu os 100 porcento em Ribeira Grande (Santo Antão), Ribeira Brava, Boa Vista, Maio, São Domingos, São Salvador do Mundo, São Filipe e Santa Catarina do Fogo.

Os dados revelam, ainda, que Praia, Santa Catarina e São Lourenço dos Órgãos foram os únicos concelhos que atingiram a taxa mais baixa de vacinação (97%).

De acordo com o INE, os meios de comunicação social que mais contribuíram para a obtenção de informação sobre a campanha de vacinação entre os jovens foram a televisão (83,7%) e a rádio (43,7) bem como membros de família ou vizinhos (44%) e escola (39,5%).

A campanha de vacinação contra rubéola e o sarampo tinha como meta vacinar cerca de 95 porcento do público-alvo, ou seja, 262 mil indivíduos.

Inscrita no quadro da Iniciativa Mundial de Eliminação do sarampo e da rubéola, a operação deve ter como resultado o aumento da imunidade de massa coletiva da população de Cabo Verde.

Visa, por conseguinte, a reduçâo do número de casos e de mortes devidos a essas doenças, bem como de casos de crianças atingidas por malformações devidas ao Síndrome de Rubéola Congénita.

Para a realização da campanha foram constituídas 226 equipas, que totalizaram 904 elementos, acrescidos de 26 coordenadores, 56 supervisores e 73 condutores.

O orçamento da operação rondou mais de 70 mil contos cabo-verdianos (635 mil euros), incluindo as vacinas e os consumíveis disponibilizados pelas Nações Unidas.

-0- PANA CS/IZ 07maio2014

07 may 2014 18:58:39




xhtml CSS