União Africana pede formação de governo na Somália

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- A V sessão ordinária do Conselho Executivo da União Africana (UA) apelou, segunda-feira, os líderes das diferentes facções e partidos somalís para respeitarem a data limite de 31 de Julho próximo para a formação de um governo de união, sob pena de eventuais sanções da comunidade internacional.
Numa resolução adoptada no termo dos seus trabalhos, na capital etíope, os ministros africanos dos Negócios Estrangeiros apelam-nos para colaborarem estreitamente com o Comité de Facilitação da Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD).
Aqueles que se encontram na Somália foram instados a deslocarem- se rapidamente a Nairobi, no Quénia, para participarem nos trabalhos da conferência de reconciliação.
"O Conselho reitera a determinação da União africana para mobilizar a comunidade internacional para impor sanções dirigidas contra os chefes de facções comprometam deliberadamente o processo", ameaça o texto.
Pede ainda ao Grupo de Acompanhamento das Nações Unidas (ONU) criado em conformidade com a resolução 1519 (2003) do Conselho de Segurança de 16 Dezembro de 2003 que "prossiga as suas investigações sobre os casos de violação do embargo de armas.
O grupo é igualmente instado a explorar a possibilidade de desdobrar um mecanismo de vigilância ao longo do mar somalí e das suas fronteiras, a fim de reforçar a aplicação do embargo de as armas.

06 Julho 2004 13:22:00




xhtml CSS