União Africana espera transição democrática no Zimbabwe

Addis Abeba, Etiópia (PANA) – A União Africana (UA) lançou um apelo para uma transição democrática no Zimbabwe, em conformidade com a sua Carta sobre a Democracia e Boa Governação, considerando os últimos desenvolvimentos no país como "desacordos no seio do partido no poder e não propriamente um golpe de Estado".

A UA anunciou igualmente que o Presidente sul-africano, Jacob Zuma, iniciou medidas para responder à atual situação política em Harare.

Segundo o presidente da Comissão da UA,  Moussa Faki Mahamat,  a organização continental considera a situação política em Harare antes como "divergências no seio de um partido do que um verdadeiro golpe  de Estado".

As Forças Armadas zimbabweanas tomaram oficialmente o poder no país após várias semanas de divergências políticas internas no seio da ZANU-PF, o partido no poder fundado pelo atual Presidente, Robert Mugabe.

Os recentes acontecimentos surgem neste país da África Austral na sequência da destituição pelo Presidente Robert Mugabe do seu Vice-Presidente, Emerson Mnangagwa, e da demissão de altos responsáveis do Governo dos quais vários ministros.

A UA indicou que o Presidente Zuma emitiu um comunicado sobre a situação no Zimbabwe e uma delegação já esteve no país para explorar pistas de resolução desta crise política.

"Estamos ao corrente das divergências no seio do partido no poder relativas à sucessão do Presidente Robert Mugabe. Nós esperamos que não haja um derrame de sangue",  declarou Mahamat aos jornalistas em Washington (Estados Unidos).

Ele indicou que a UA está a trabalhar com a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) com vista a chegar a uma resolução da crise.

“A UA compreende agora que não se trata dum golpe de Estado. A organização não aceita as mudanças anticonstitucionais de Governo",  declarou o chefe da Comissão da UA.

Ele sublinhou a urgência de se resolver esta crise de uma forma que promova a democracia e os direitos humanos, bem como o desenvolvimento socioeconómico no Zimbabwe, indica uma nota da UA distribuída quarta-feira em Addis Abeba.

-0- PANA AO/AR/ASA/TBM/SOC/FK/IZ 16nov2017

16 Novembro 2017 19:43:59




xhtml CSS