Um milhão de crianças expostas à desnutrição no Sahel, segundo UNICEF

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA) – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) anunciou que pelo menos um milhão de crianças correm o risco de morrer de desnutrição em algumas partes da região do Sahel, devido à seca e lançou um apelo à concessão de mais recursos para assistir os necessitados.

"Estimamos que em 2012 haverá mais de um milhão de crianças que vão sofrer de desnutrição severa. O que é importante saber é que a desnutrição pode matar", disse o diretor de programas de urgência do UNICEF, Louis-George Arsenault, num comunicado transmitido quinta-feira à PANA em Nova Iorque.

"Atualmente, 15 milhões de pessoas sofrem de insegurança alimentar no Sahel, que afeta as populações do Burkina Faso, do Tchad, do Mali, da Mauritânia, do Níger e as regiões norte dos Camarões, da Nigéria e do Senegal", acrescentou.

A agência lançou um apelo para 120 milhões de dólares americanos para alargar as suas operações e fornecer serviços sanitários, nutricionais, de saneamento e abastecimento de água, de educação e de proteção da infância nos países atingidos.

Todavia, ela apenas conseguiu arrecadar metade do montante requerido até agora, enquanto, segundo o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), a crise alimentar e nutricional se agrava registando uma taxa alarmente este ano, apesar dos esforços de reação louváveis da parte dos Governos e das agências de ajuda internacionais.

No mês passado, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, convidou a comunidade internacional a reagir rapidamente para enfrentar o que chamou de "crises em cascata" nesta região.

O Conselho de Segurança da ONU, por seu lado, manifestou a sua séria preocupação pela agravação rápida da crise humanitária, indicando que a presença de grupos terroristas armados bem como a proliferação de armas na região exacerbam o problema.

-0- PANA AA/SEG/FJG/SSB/IBA/CJB/TON 04maio2012

04 may 2012 09:44:38




xhtml CSS