Um em cada cinco Cabo-verdianos é fumador, diz estudo

Praia, Cabo Verde (PANA) - Quase um em cada cinco Cabo-verdianos é fumador e a venda de tabaco aumentou cerca de quatro porcento num ano, indicam quarta-feira dados avançados pelo ministério da Saúde de Cabo Verde.

A informação foi dada no âmbito do Dia Mundial sem Tabaco, assinalado a 31 de maio, de acordo com a mesma fonte.

Cabo Verde regista uma prevalência de consumo do tabaco de 17,4 porcento com destaque para a ilha de Santo Antão com uma prevalência de 30,1 porcento.

Estudos realizados em 2013 indicavam que sete porcento do consumo do tabaco ocorre em crianças com idade compreendida entre os seis e os 12 anos, e que 53 porcento em jovens com idade inferiores ou igual a 18 anos.

Conforme o ponto focal da Convenção Quadro da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o controlo do Tabaco em Cabo Verde, José Teixeira, devido à falta de estudos, o país não sabe o real impacto do consumo deste produto, nomeadamente no tocante ao número de mortes.

"Não temos o número de mortes provocadas pelo tabaco. Sabemos que há, tal como acontece a nível mundial, consequências do fumo", explicou o responsável sanitário, garantindo no entanto que serão realizados estudos para determinar o impacto deste flagelo no país e para ajudar o Governo na tomada de medidas.

José Teixeira aponta a necessidade de se rever a lei nº119/IV/95 que define as condições de dissuasão e restrição do uso do tabaco no espaço público, cumprindo a Convenção Quadro da OMS para o controlo do Tabaco, ratificada por Cabo Verde em 2005.

Nesta lógica, o ponto focal da Convenção Quadro da OMS para o controlo do Tabaco em Cabo Verde disse ser de opinião que melhorias na legislação devem ser efetuadas para o reforço de medidas de preço e de imposto, para a restrição do acesso aos jovens, eliminação do contrabando e venda a retalho, entre outros.

A nível mundial, os mais recentes números da OMS indicam que os cigarros matam mais de sete milhões de pessoas por ano, 583 mil por mês e 19 mil 200 por dia.

Segundo o relatório da OMS, os números de mortes devido ao tabaco aumentaram em três milhões desde o início do século, quando os cigarros matavam anualmente quatro milhões de pessoas.

-0- PANA CS/DD 01junho2017



01 Junho 2017 11:36:37


xhtml CSS