UNICEF assiste crianças afectadas por seca na Etiópia

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- A vice-directora-geral do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Hilde Johnson, chegou quinta-feira a Addis Abeba, na Etiópia, para uma visita de quatro dias durante a qual vai passar em revista a situação de emergência prevalecente nas zonas afectadas pela seca.
Johnson vai deslocar-se aos pontos quentes do sul do país e vai encontrar-se com representantes do Governo, com parceiros das Nações Unidas, com doadores e com responsáveis de Organizações não Governamentais que intervêm em actividades humanitárias para responder à situação de emergência provocada pela seca.
O Governo etíope estima que, actualmente, 75 mil crianças de menos de cinco anos de idade que vivem nas zonas afectadas pela seca estão ameaçadas de desnutrição aguda e necessitam duma assistência terapêutica imediata, para se assegurar a sua sobrevivência.
No país, quatro milhões 600 mil pessoas pelo menos instaladas nas zonas afectadas pela seca necessitam de ajuda humanitária imediata.
De acordo com o UNICEF, as crianças são as mais vulneráveis aos choques nutricionais e as primeiras a falecer quando não há bastante alimento em casa.
As taxas de mortalidade entre as crianças que sofrem de desnutrição aguda, que não beneficiam de assistência médica adequada e estão privadas dos alimentos terapêuticos necessários variam de 25 a 50 por cento.
O UNICEF, principal fornecedor de alimentos terapêuticos da Etiópia, deve no entanto fazer face a um grave défice de produtos necessários para salvar a vida das crianças afectadas pela desnutrição aguda.
A semana passada, o organismo recebeu 92 toneladas de alimentos terapêuticos prontos a utilizar, que poderiam ser distribuídos para a assistência doméstica de crianças em estado de desnutrição severa, à condição que estes últimos não sofram de complicações que necessitem duma supervisão médica.
O UNICEF espera ainda 772 toneladas de alimentos terapêuticos nas três próximas semanas para cobrir as necessidades de alimentos durante seis semanas.
Tomando em consideração que, segundo as previsões, a situação de emergência deverá prosseguir ainda durante pelo menos três meses, estas expedições não são suficientes para salvar as vidas de dezenas de milhares de crianças de menos de cinco anos.
O UNICEF lançou um apelo para a disponibilização de 50 milhões de dólares americanos para responder às necessidades de emergência em matéria de desnutrição, saúde, alimentos, saneamento e higiene, bem como educação das crianças e mulheres afectadas pela seca, e para ajudar o Governo a atenuar os riscos do aparecimento de novas situações de emergência.
Depois deste apelo, as subvenções e promessas recebidas pelo organismo onusino estimam-se em apenas cerca de 22 milhões de dólares americanos, deploram os responsáveis na UNICEF.

19 Junho 2008 18:27:00


xhtml CSS