UNESCO condena assassinato de dois jornalistas somalís

Dakar- Senegal (PANA) -- O director-geral da UNESCO, Koïchiro Matsuura, condenou quinta-feira o assassinato a 16 de Maio corrente dos jornalistas somalís Abshir Ali Gabre e Ahmed Hassan Mahad na província de Shabeellaha Dhexe (sudeste), e apelou para uma melhor segurança dos profissionais da informação neste país.
"Condeno a morte de Abshir Ali Gabre e de Ahmed Hassan Mahad.
Exorto todos os responsáveis somalís a prestar atenção à segurança dos jornalistas cuja actividade profissional é essencial ao diálogo e à resolução de conflitos.
Os jornalistas devem poder exercer a sua profissão em boas condições de segurança", declarou Matsuura.
Abshir Ali Gabre e Ahmed Mahad, respectivamente apresentador e repórter da Rádio Jowhar, uma estação privada de Johwar, a cerca de 90 quilómetros a norte da capital Mogadíscio, morreram quando atiradores dispararam contra o cortejo do governador da província do Shabeellaha Dhexe, Mohammed Omar Deele.
Pelo menos seis pessoas no total teria perecido nas trocas de tiros que se seguiram.
O Comité de Protecção dos Jornalistas (CPJ) precisa que Abshir Ali Gabre e Ahmed Mahad são os 16º e 17º jornalistas mortos no exercício da sua profissão na Somália desde 1992.
Este país vem em 12º lugar na lista dos países mais perigosos para a imprensa estabelecida pela CPJ.

24 Maio 2007 17:02:00




xhtml CSS