UE quer ser "primeiro parceiro" da Tunísia

Túnis, Tunísia (PANA) - A União Europeia (UE)  deseja tornar-se no "primeiro parceiro" da Tunísia na transição económica e executar “uma verdadeira parceria para o crescimento”, declarou segunda-feira, em Bruxelas, a alta representante da UE para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, Federica Mogherini.

Em conferência de imprensa com o ministro tunisino dos Negócios Estrangeiros, Khemais Jhinaoui, a diplomata europeia frisou que « se trata de tomar iniciativas suscetíveis de ajudar a Tunísia a enfrentar os desafios de abertura e de transição específicos à sua economia ».

Entre estas iniciativas, Mogherini citou o Acordo de Livre Comércio Completo e Aprofundado (ALECA) e Acordo « Céu Aberto”.

“A UE continuará do lado da Tunísia. Isto é, para nós, não apenas um sinal de amizade, mas também é do nosso interesse da União Europeia e de todos os Europeus investirmos na Tunísia, nos Tunisinos, fazendo com que a transição democrática do país seja bem-sucedida”.

O ministro tunisino dos Negócios Estrangeiros iniciou segunda-feira última uma visita de trabalho a Bruxelas a convite da alta representante da UE para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, refere-se.

Segundo fontes próximas do Ministério tunisino dos Negócios Estrangeiros, esta visita se realiza no rescaldo da decisão da UE de retirar a Tunísia da lista negra dos países « paraísos fiscais ».

A mesma visa buscar uma parceria com a organização europeia até 2020 e examinar com  autoridades europeias questões regionais e internacionais de interesse comum, das quais a situação na Líbia.

-0- PANA YY/IN/JSG/FK/DD 6fev2018

06 Fevereiro 2018 10:46:07


xhtml CSS