UE espera por eleições livres, transparentes e democráticas no Zimbabwe, diz diplomata

Bruxelas, Bélgica (PANA) – A União Europeia (UE) espera que as novas autoridades zimbabweanas vão organizar eleições livres, transparentes e democráticas., declarou quarta-feira em Bruxelas a alta representante da UE para a Política Externa e Segurança Comum, Federica Mogherini.

Se assim for, então a UE vai trabalhar com as instituições financeiras internacionais sobre uma série de medidas para estabilizar a economia e garantir os serviços sociais fundamentais neste país, garantiu Mogherini, no final de uma reunião do Parlamento Europeu sobre o Zimbabwe.

O Parlamento Europeu apoia a retomada duma cooperação “plena e inteira” com o Zimbabwe, após a demissão, em novembro de 2017, de Robert Mugabe, das suas funções de Presidente do Zimbabwe.

Esta decisão foi tomada pelo Parlamento Europeu, no termo dum debate protagonizado por Cécile Kashetu Kyenge, eurodeputada italiana de origem rdcongolesa, no rescaldo da demissão, em novembro de 2017 de Robert Mugabe das suas funções de Presidente do Zimbabwe.

A decisão segue-se igualmente ao anúncio pelo novo Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, de organizar, antes de julho próximo, eleições gerais neste país, sujeito durante muito tempo a sanções da União Europeia (UE) e das Nações Unidas, por défice democrático e violações graves dos direitos humanos.

Os deputados europeus afirmam que a alternância política ocorrida em novembro último na magistratura suprema do Zimbabwe é portadora de esperanças para o povo deste país e do respeito pelos direitos humanos, para que o país realize uma verdadeira viragem para a democracia e o Estado de Direito.

-0- PANA AK/JSG/FK/DD  21fev2018

21 Fevereiro 2018 13:46:43


xhtml CSS