UA reclama por mais recursos para tropas em Darfur

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- Os Estados membros da União Africana (UA) foram convidados a dar contribuições financeiras ou logísticas para apoiar a Missão da UA no Sudão (AMIS).
O Conselho de Paz e Segurança (CPS) reunido à margem da quinta cimeira ordinária da organização panafricana em Sirtes, na Líbia, afirma que recursos financeiros adicionais são necessários para colmatar o défice de financiamento das operações da AMIS.
Num comunicado difundido esta terça-feira, o CPS felicitou os parceiros da organização continental pelo seu apoio contínuo à AMIS.
Graças ao seu apoio logístico, a UA decidiu desdobrar soldados suplementares naquela província ocidental do Sudão exposta a conflitos recorrentes, para atingir até Setembro de 2005 o efectivo de sete mil e 731 soldados recentemente autorizado.
O CPS expressou, por outro lado, a preocupação da organização continental com as posições inflexíveis adoptadas pelas diferentes partes nas negociações de paz em curso em Abuja, na Nigéria.
A instância de segurança africana manifestou-se, por conseguinte, preocupada com a lentidão das negociações em curso sobre a Declaração de Princípio (DOP).
O Conselho saudou todavia a "tranquilidade relativa prevalecente actualmente em Darfur" e encorajou as partes sudanesas a tudo fazer para manter e consolidar esta acalmia.
"A base da questão em Darfur é essencialmente políticae económica.
As negociações de paz de Abuja representam o mecanismo mais viável para chegar a uma solução concertada e sustentável", declarou o Conselho.
A quinta ronda de negociações de paz inter-sudanesas iniciada a 10 de Junho de 2005 realiza-se sob a direcção do enviado especial da UA e medianeiro na crise em Darfur o tanzaniano Salim Ahmed Salim.
Durante esta reunião, o CPS expressou o seu apoio a Salim e endereçou os seus agredecimentos ao Presidente nigeriano Olusegun Obasanjo pela sua contribuição para a resolução desta questão.
O CPS saudou igualmente a contribuição do Tchad e de outros facilitadores africanos, bem como a dos obervadores provenientes de países e instituições parceiros.
A Instância de segurança africana exortou-os a continuar a dar o seu apoio ao medianeiro na crise em Darfur.
De igual modo, o CPS pediu aos beligerantes em Darfur a cooperar sem reserva com este medianeiro e a negociar com boa fé, com urgência e num espírito de compromisso e compreensão mútuos".

05 Julho 2005 11:53:00




xhtml CSS