UA preocupada com situação de insegurança crescente no Burundi

Kigali, Rwanda (PANA)   - A presidente da Comissão da União Africana (UA), Nkosazana Dlamini-Zuma, declarou-se esta quinta-feira profundamente preocupada face ao aumento dos atos de insegurança no Burundi, deplorando a multiplicação de declarações suscetíveis de agravar cada vez mais a tensão atual e reunir as condições duma instabilidade ainda maior neste país da África Oriental.

Num comunicado transmitido à PANA em Kigali, Dlamini-Zuma exprime a firme condenação pela UA dos atos de violência e das violações dos direitos humanos, bem como de todas as declarações incendiárias.

A nota lembra que o Conselho de Paz e Segurança (CPS) da UA, durante a sua 551ª reunião realizada a 17 de outubro de 2015, decidiu apoiar os esforços de busca duma solução rápida e consensual para a crise prevalecente no Burundi, impor sanções identificadas contra todos os atores burundeses cuja ação e cujas declarações contribuem para a persistência da violência e minam a busca duma solução.

« Por enquanto, apenas um diálogo inclusivo que agrupa todos os atores burundeses poderá permitir ao Burundi ultrapassar as graves dificuldades atuais », sublinhou Dlamini-Zuma para quem estes esforços contribuirão para prevenir uma evolução que porá totalmente em causa as conquistas registadas graças ao Acordo de Arusha para a Paz e Reconciliação no Burundi.

Por outro lado, a UA reitera igualmente o apoio da organização pan-africana à mediação liderada pelo Presidente ugandês, Yoweri Museveni, em nome da Comunidade da África Oriental (CEA) e pede com insistência ao Governo do Burundi e a todas as outras partes interessadas para lhe prestar inteira cooperação.

-0- PANA TWA/BEH/IBA/FK/TON 05 nov 2015

05 Novembro 2015 19:56:55




xhtml CSS