UA levanta sanções contra Guiné-Bissau sobre contribuições estatutárias

Malabo, Guiné Equatorial  (PANA) – A Guiné-Bissau retomou o seu direito a voto na União Africana (UA) após o levantamento das sanções que pesavam sobre si há vários anos por não pagamento das suas contribuições estatutárias, soube a PANA sexta-feira de fonte oficial em Malabo.

Segundo a fonte, esta decisão foi tomada durante a última sessão ordinária do Conselho Executivo da UA, depois de o país liquidar, à última hora,  os seus atrasados, para garantir a sua participação efetiva nos trabalhos da 17ª cimeira da UA de 30 de junho a 1 de julho na capital equato-guineense.

A fonte não precisou o montante da dívida acumulada pela Guiné-Bissau ao longo dos últimos anos, mas adiantou que, até pouco antes do início dos preparativos da cimeira de Malabo, o país continuava a partilhar a “lista negra” com a República Centro-Africana (RCA).

Porém, indicou a fonte, esta última não teve a mesma sorte que a Guiné-Bissau pelo que o Conselho Executivo, órgão de decisão que agrupa os chefes de diplomacia da UA, decidiu manter a sanções contra a RCA por incumprimento das suas obrigações.

Enquanto isso, o Conselho decidiu também manter o levantamento temporário das sanções contra a República Democrática do Congo (RDC) por esta  ter honrado os seus compromissos  no quadro de uma moratória que lhe foi concedida para pagamento gradual dos seus atrasados.

-0- PANA IZ 01julho2011

01 Julho 2011 15:58:27




xhtml CSS