UA exige cooperação do Sudão na crise em Darfur

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- A União Africana (UA), sem admitir que os seus observadores em Darfur estavam a ser hostilizados pelo governo sudanês, instou Cartum a permitir a sua missão agir com mais eficiência naquela conturbada região.
Num comunicado divulgado no final da sua 16ª reunião realizada em Addis Abeba, o Conselho de Paz e Segurança (CPS) exige uma cooperação total do regime sudanês com a Missão da UA no Sudão.
Reiterando a necessidade da UA continuar a jogar um papel fundamental na procura duma solução para o conflito em Darfur, o CPS manifestou-se regozijado com o apoio dado pelas Nações Unidas e o seu secretário-geral Kofi Annan.
Apesar das negociações de paz inter-sudanesas sobre a crise terem sido adiadas devido a um impasse sobre o desarmamento dos beligerantes, o Conselho instou as partes a continuarem engajadas no processo negocial.
As negociações tiveram início a 23 de Agosto de 2004 em Abuja (Nigéria) e foram adiadas sexta-feira por duas semanas.
Entretanto, o CPS instou o governo sudanês e os seus opositores em Darfur, nomeadamente o Movimento da Justiça e Igualdade (JEM) e o Movimento/Exército de Libertação do Sudão (SLM/A), a cumprirem com o acordo de cessar-fogo assinado em Abril de 2004 em N'djamena (Tchad).

20 Setembro 2004 08:30:00




xhtml CSS