UA diz-se pronta para trabalhar com Obama

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- A União Africana espera com impaciência ver as relações entre África e os Estados Unidos melhoradas depois da eleição de Barack Obama como primeiro Presidente negro da maior potência económica do mundo, afirmou terça-feira o presidente da Comissão da União Africana, Jean Ping.
"As esperanças do continente africano são grandes.
Sendo um Africano saído da diáspora, Obama compreende perfeitamente a situação particular dos Africanos que foram, durante muito tempo, marginalizados pelos sistemas económicos mundiais", disse Ping, aconselhando os Governos africanos a não esperar muito dos Estados Unidos.
"Possa ser que esperamos muito dele.
Devemos recordar que ele (Obama) é antes de tudo Americano.
Ele foi eleito pelos Americanos para os dirigir.
Mesmo ao se relacionar com África, ele deve defender os interesses americanos, o que é normal", disse o presidente da Comissão da União Africana.
"Partilhamos os mesmos ideais e as mesmas aspirações, por isso esperamos poder trabalhar com ele", acrescentou Ping, indicando que África estava hoje mais do que antes pronta para cooperar com a nova administração americana.
As esperanças em África aumentaram consideravelemente quando Obama disse durante a sua investidura, a 20 de Janeiro último, que aspiraria trabalhar com os Estados mais fracos para melhorar as condições económicas dos pobres e excluiu a exploração dos recursos das nações pobres sem uma compensação proporcional.
Obama, filho de pai queniano negro e de mãe americana branca, advertiu contudo que agirá contra líderes de pequenos países que tomam fraududulentamente o poder.
O presidente da Comissão da UA aclamou Obama como um fenómeno raro na história da democracia.

28 Janeiro 2009 11:41:00




xhtml CSS