UA denuncia violações de cessar-fogo em Darfur

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- Apesar de uma aparentemente calma situação de segurança em várias localidades da conturbada província oeste-sudanesa de Darfur, no oeste do Sudão, persistiram as violações do cessar-fogo no mês passado na parte sul da região, indica um grupo de trabalho da União Africana (UA).
No seu último briefing semanal, o Grupo de Trabalho integrado sobre Darfur (DITF) refere que as milícias árabes Djandjawid ameaçam constantemente os aldeões da área de Umkher.
Num dos incidentes, refere, uma patrulha da Missão da União Africana no Sudão (AMIS) foi atacada por cerca de 600 milícias Djandjawid armados quando se deslocava de Jeje para Birtabla.
Não houve nenhum ferido neste incidente mas um camião-cisterna da força de protecção da AMIS perdeu todo um carregamento de combustível na sequência dos disparos.
A AMIS em Darfur acaba de aumentar os seus efectivos para 1,410 soldados com o desdobramento de três companhias da Nigéria em Al Dein e Nyala.
A missão recebeu igualmente o contingente de tropas senegalesas transportadas graças à cooperação dos Países Baixos e da União Europeia.
A 29 de Janeiro, 35 elementos da Polícia Militar queniana chegaram a El Fasher, base logística e quartel-general local da Comissão de Cessar-fogo em Darfur.
Porém, o DITF declara que os actuais problemas de alojamento vão atrasar o desdobramento de mais polícias civis na região.
Seis países estão prontos para enviar os seus efectivos policiais para Darfur, mas o desdobramento do primeiro grupo de 100 homens será adiado por pelo menos duas semanas devido a tais dificuldades de alojamento.
Os seis países são designadamente a África do Sul (100), a Nigéria (50), a Zâmbia (15), o Botswana (2) e o Gana (150).

05 Fevereiro 2005 20:23:00




xhtml CSS