UA defende ação africana coletiva contra Boko Haram

Dar es Salaam, Tanzânia (PANA) - Os países-membros da União Africana (UA) devem agir agora e coletivamente contra a ameaça progressiva do terrorismo perpetrado pelo grupo islamita Boko Haram na África Ocidental, declarou segunda-feira a presidente da Comissão da organização pan-africana, Nkosazana Dlamini Zuma, na sua sede em Addis Abeba, na Etiópia.

"O que começou como um grupo criminoso localizado (na Nigéria) estende-se agora na África Ocidental e Central", afirmou Dlamini Zuma, adiantando que "esta não é apenas uma ameaça para alguns países (...) é uma ameaça para todo o continente, é uma ameaça mundial que deve ser resolvida a nível mundial, mas com África na liderança".

Falando na 26ª sessão ordinária do Conselho Executivo da UA, Dlamini Zuma disse que estava "profundamente horrorizada pela tragédia que o Boko Haram continua a infligir ao nosso povo, raptando meninas da escola, incendiando aldeias, aterrorizando comunidades inteiras e matando de maneira absurda. Devemos declarar este estado de coisas inaceitável! "

A presidente da Comissão da UA agradeceu ao Tchad pela sua disponibilidade a ajudar os Camarões na luta contra os insurgentes islamitas.

Dlamini Zuma notou que a Comissão da UA acelerou as suas consultas em curso com os Estados-membros, as comunidades económicas regionais e outros parceiros sobre a maneira como tratar o grupo Boko Haram.

-0- PANA AR/VAO/MTA/BEH/MAR/TON 26janeiro2015

26 Janeiro 2015 16:53:06




xhtml CSS