UA cria novo comité para integração africana

Sirtes- Líbia (PANA) -- A quinta cimeira ordinária da União Africana (UA) instituiu um novo comité de sete membros sobre a criação dos Estados Unidos de África, um assunto polêmico que dominou dois dias de deliberações em Sirtes (centro da Líbia).
O Presidente da Nigéria e da UA, Olusegun Obasanjo, vai dirigir o comité que inclui também representantes da Argélia, do Quénia, do Senegal, do Gabão, do Lesoto e do Uganda.
O novo comité vai substituir o criado anteriormente sobre a mesma questão, liderado pelo Presidente ugandês Yoweri Museveni, disse terça-feira Obasanjo na cerimónia de encerramento da cimeira.
"Um dos itens (na agenda) que mais engajaram os chefes de Estado foi o relatório do grupo de sete membros (sobre a questão da integração) presidido pelo Presidente Museveni", afirmou o líder nigeriano.
Disse que o novo comité foi mandatado para "examinar todas as ideias" sobre o assunto discutidas na cimeira de Sirtes e as negociações com outros órgãos e indivíduos relevantes, bem como relatar à cimeira ordinária da UA em Addis Abeba (Etiópia) em Janeiro de 2006.
De acordo com ele, o órgão vai fazer as recomendações sobre a estrutura, o calendário e as medidas necessárias para realizar completamente o mandato da comissão.
O presidente da UA disse que as discussões na cimeira de Sirtes foram "francas e sinceras" sobre uma série de questões tratadas, acrescentando que mensagens de solidariedade e de apoio foram recebidas da China, da Índia, do Japão, da Coreia do Norte, de Cuba, do Brasil e do Irão.
Em nome dos líderes africanos, Obasanjo homenageou o Presidente tanzaniano Benjamin Mkapa, que participou na cimeira pela última vez como chefe de Estado porque o seu país vai organizar eleições presidenciais em Outubro para eleger o seu substituto depois de dois mandatos de cinco anos.
Mkapa foi louvado pelas suas "imemnsas" contribuições ao trabalho da UA, particularmente pela dimensão social do comité de globalização.

05 Julho 2005 20:11:00




xhtml CSS