UA apela a Estados africanos para acabarem com clima de insegurança no Mali e no Sahel

Bamako, Mali (PANA) – O alto representante da União Africana (UA) no Mali e Sahel (MIISAHEL), Pierre Buyoya, apelou aos Estados africanos para empreenderem ações multidimensionais ativando seus aparelhos de segurança e de defesa para se acabarem com o clima de insegurança prevalecente no Mali e no Sahel.

Durante uma conferência de imprensa quinta-feira última na sede da Missão da UA para o Mali e Sahel, Buyoya exortou os Estados-membros da União Africana a combaterem o fenómeno pela mobilização da população para contrariar qualquer ideia terrorista.

No plano político, ele saudou a assinatura do acordo de paz e reconciliação no Mali apelando a todas as partes para uma aplicação estrita do seu conteúdo a fim de estabelecerem bases do desenvolvimento e da reconciliação.

« A União Africana estará vigilante para evitar que uma parte ponha em perigo a aplicabilidade do acordo de paz », alertou o responsável africano, antes de saudar o bom desfecho do escrutínio presidencial na Nigéria bem como o bom desenrolamento da transição no Burkina Faso que, segundo ele, começa a suscitar algumas inquietudes devido ao novo

Deplorou, no entanto, a deterioração da situação de segurança no Mali, nomeadamente com os recentes ataques perpetrados contra as populações de Macina, de Nara, de Misséni e de Fakola.o

Os ataques nestas zonas continuam a minar os esforços de desenvolvimento expondo as populações destas diferentes localidades a um clima de insegurança crescente.

A estas ameaças acrescentam-se as de atentados terroristas proferidas por Ancardine contra a Côte d’Ivoire e a Mauritânia e as derrapagens dos ataques perpetrados pela seita Boko Haram contra as populações da Nigéria, dos Camarões, do Níger e do Tchad e bem como estes múltiplos atentados cometidos no Magrebe pelos terroristas que dizem pertencer ao Estado Islâmico (EI), deplorou.

- 0 – PANA GT/BEH/FK/DD 03julho2015

03 Julho 2015 19:16:42




xhtml CSS