UA advoga prorrogação de seu mandato na Somália

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- O Conselho de Paz e Segurança (CPS) da União Africana (UA) reunido ao nível dos chefes de Estado e de Governo, decidiu prorrogar o mandato da Missão da UA na Somália (AMISOM) para um período suplementar de seis meses que vai vigorar a partir de 17 de Julho próximo, segundo um comunicado oficial divulgado em Addis-Abeba, nesta terça-feira.
Os dirigentes africanos que participam na 11ª Sessão ordinária da Assembleia da UA em Charm El Cheikh, no Egipto, decidiram, por outro lado, que a AMISOM vai tomar todas as medidas necessárias para apoiar a aplicação do acordo de 9 de Junho de 2008 concluído entre o Governo Federal de Transição (TFG) da Somália e a Aliança para a Re-Libertação da Somália (ARS).
Reafirmando a sua dedicação à unidade, integridade territorial e soberania da Somália, o CPS aconselhou vivamente todas as partes somalís a juntarem-se a este processo e comprometerem-se a uma resolução pacífica e negociada do conflito no seu país.
Apesar do número muito limitado do pessoal desdobrado até agora, as numerosas dificuldades logísticas encontradas pela Missão e as condições difíceis em que ela trabalha, o CPS disse apreciar o trabalho cumprido pelos contingentes ugandeses e burundeses da AMISOM na Somália.
"O Conselho manifestou a sua satisfacção aos Governos do Uganda e do Burundi pelo seu compromisso constante a favor duma paz e reconciliação duradouras na Somália", indica o comunicado que condenou com firmeza os ataques, as ameaças e actos de violência contra a AMISOM que, segundo ele, são susceptíveis de pôr em causa o processo político, a paz e a estabilidade regionais.
Por outro lado, o CPS renovou o seu apelo aos Estados membros da UA para o desdobramento das tropas e do pessoal suplementares necessários para permitir à AMISOM atingir a sua dimensão autorizada.
O Conselho convidou uma vez mais os Estados membros e parceiros da UA a apoiarem financeira e logisticamente o acabamento do desdobramento da Missão e a viabilidade das suas operações.
Segundo o comunicado, os chefes de Estado da UA membros do CPS declararam-se optimistas esperando que, com o Acordo de 09 de Junho, a comunidade internacional concederá um apoio acrescido aos esforços destinados a pôr um termo definitivo à violência que assola na Somália há cerca de duas décadas.
Manifestaram o seu desejo de que uma operação de manutenção da paz da ONU seja desdobrada dentro em breve para substituir a AMISOM e apoiar a estabilização a longo prazo e a construção da Somália.
O Conselho pediu à Comissão da UA, com estreita colaboração com os outros actores da ONU, para facilitar a aplicação do Acordo de 09 de Junho de 2008, incluindo o reforço da AMISOM, e dar o apoio necessário ao TFG no âmbito dos seus esforços para a estabilização da situação no país.
Por outro lado, o CPS homenageou as agências humanitárias e os trabalhadores pela ajuda concedida aos civís que vivem na Somália em condições muito difíceis.
Manifestou a sua gratidão aos países que deram o seu apoio às actividades humanitárias na Somália, e pelas medidas tomadas para combater a pirataria no largo das costas somalís e escoltar os navios de transporte da ajuda humanitária do Programa Alimentar Mundial (PAM) destinada à Somália.

01 Julho 2008 19:01:00




xhtml CSS