Tutela de filhos divide casais angolano-congoleses na RD Congo

Kinshasa- RD Congo (PANA) – Os refugiados angolano-s casados com mulheres congolesas na província do Baixo Congo, na RD Congo, estão actualmente confrontados com o dilema da tutela dos seus descendentes diante da iminência do seu regresso a Angola.
De acordo com o Departamento de Assuntos Jurídicos da CNR (Comissão Nacional de Refugiados) em Kinshasa, a dificuldade resulta da recusa das mulheres congolesas em acompanhar os seus esposos que regressam a Angola provocando assim a desintegração das famílias.
Diante deste conflito de vontades, alguns casais propuseram a distribuição dos seus rebentos por sexo, para o desagrado dos parentes maternos já que o Baixo Congo é uma sociedade matrilinear.
Um especialista contactado pela PANA no fim-de-semana indicou que a Lei congolesa que regula a união das famílias impõe que deve a mulher juntar-se ao marido em caso de este residir no seu país.
Esta prática, disse, permite poupar as crianças dos impactos negativos da separação dos seus pais.
O Departamento de Assuntos Jurídicos da CNR está actualmente a examinar os casos já apresentados para encontrar uma solução que satisfaça as duas partes, disse.

06 Novembro 2005 17:20:00


xhtml CSS