Tunísia adota plano de riposta a vírus Zika

Túnis, Tunísia (PANA) – O Observatório Tunisino das Doenças Novas e Emergentes  anunciou terça-feira, num comunicado, a criação de um plano de riposta e prevenção do risco de introdução do vírus Zika na Tunísia.

Este plano surge na sequência do alerta lançado, segunda-feira última, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) contra o vírus Zika, declarado « urgência de saúde pública de alcance internacional ».

« Apesar de que o risco de circulação deste vírus transmitido pelo mosquito tigre continua a ser quase nulo na Tunísia, o Observatório preconiza reforçar o controlo sanitário e aplicar as recomendações da OMS », indica o comunicado.

Trata-se, igualmente, de reforçar as medidas de luta nos transportes aéreos, desenvolver as capacidades de diagnóstico dos laboratórios e reforçar as medidas de luta antivetorial comunitárias .

O porta-voz oficial da Divisão da OMS para o Médio Oriente,  Rana Saïdani, indicou terça-feira  que seis países desta região são considerados como os mais expostos à propagação do vírus.

Trata-se do Egito, da Árabia Saudita, do Sudão, do Iémen, da Somália e do Djibuti onde está muito presente o mosquito responsável pela transmissão do vírus.

O primeiro caso do vírus Zika foi descoberto no homem  em 1952 no Uganda. Ele pode transmitir-se dum homem atingido para um homem são.

O Brasil, a Bolívia, Cabo Verde, a Colômbia, o Equador e o México são os países onde a propagação do vírus é mais forte, segundo o mapa publicado pelo Centro Europeu de Proteção e Controlo das Doenças .

-0- PANA AD/IN/JSG/FK/IZ 3fev2016

03 Fevereiro 2016 16:11:45


xhtml CSS