Tumultos de Kédougou em destaque na imprensa senegalesa

Dakar- Senegal (PANA) -- Os tumultos de terça-feira última em Kédougou, no sudeste do Senegal a cerca de 700 quilómetros de Dakar, estiveram em destaque nos jornais senegaleses desta semana.
"O País Está Mal", intitula o diário privado "Walfadjiri" que constata que depois de Guediawaye, no subúrbio de Dakar, onde os imames manifestaram-se contra "as sobrefacturações" da empresa nacional de electricidade, "tumultos desencadearam-se em Kédougou cusando dois mortos".
Jovens à procura de melhores condições de vida foram mortos por militares durante uma manifestação espontânea, indica o jornal, lamentando que nesta cidade onde "as minas de ouro, mármore ou o rio Gâmbia são vistos como uma riqueza inesgotável, a imensa pobreza das populações deixa observadores perplexos".
"Kédougou a Fogo e Sangue", constatam igualmente os jornalistas dos diários privados "L'Observateur" e "Le Quotidien" que ressaltam além dos mortos e feridos o incêndio dos símbolos do Estado pelos manifestantes.
Os jornais fustigaram a precipitação do ministro e porta-voz do Governo, Aziz Sow, em absolver as forças de ordem ao dizer que uma das vítimas das manifestações foi morta pisada pela multidão, enquanto a autópsia provou que ela foi atingida por uma bala.
Alguns jornais pediram a exoneração do ministro.

27 Dezembro 2008 16:15:00


xhtml CSS