Tratamento de sida aumenta em países em desenvolvimento

Nairobi- Quénia (PANA) -- Progressos significativos foram feitos em vários países com fracos e médios rendimentos em matéria de tratamento das pessoas doentes de sida, revela um novo relatório divulgado pelas agências especializadas onusinas.
O relatório conjunto intitulado "Para um acesso universal" da autoria da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF) e do Programa conjunto das Nações Unidas sobre a Sida (ONUSIDA), é o quarto documento anual do género que avalia os progressos feitos no alcance do objetivo de 2010 de prestar um acesso universal à prevenção e ao tratamento da sida.
O documento foi divulgado simultaneamente em Washington, Nairobi e Genebra.
O relatório avalia os progressos feitos na luta contra a sida em 144 países com fracos e médios rendimentos em 2009 e ressalta que 15 países, dos quais o Botswana, a Guiana e a África do Sul, ofereceram serviços e medicamentos a mais de 80 porcento das mulheres grávidas seropositivas para impedir a transmissão do HIV da mãe para a criança.
Quatorze países, dos quais o Brasil, a Namíbia e a Ucrânia, forneceram o tratamento contra o HIV a mais de 80 porcento das crianças seropositivas desfavorecidas, enquanto oito países, incluindo Cambodia, Cuba e Ruanda, alcançaram o acesso universal ao tratamento antirretroviral nos adultos.
O progresso notável realizado na África Oriental e Austral, as regiões mais duramente afetadas pela sida, alimenta esperanças na medida em que a cobertura do tratamento contra a sida passou de 32 para 41 porcento em um ano na região.
"Estamos na boa via, mostramos o que funciona e agora temos de fazer mais", lançou Paul De Lay, diretor adjunto de programas do ONUSIDA.

02 Outubro 2010 19:16:00


xhtml CSS