Transformadora de cereais locais premiada no Burkina Faso

Ouagadougou- Burkina Faso (PANA) -- Uma transformadora de cereais locais, Sophie Minoungou, venceu em Ouagadougou, o primeiro prémio de um valor de 10 milhões de FCFA, da Feira da inovação para o desenvolvimento (FID), inciada pelo Banco mundial, devido ao seu projecto de "promoção de cereais locais através de iniciativas de transformação".
Membro da Federação nacional de indústrias agro-alimentares e de transformação do Burkina Faso (FIAB), Minoungou foi classificada entre os vinte finalistas por ter apresentado uma ideia mais inovadora com impacto benéfico no ambiente social e físico.
A realização deste projecto, bem como todas outras ideias tidas em conta, segundo os inciadores, deve poder ajudar no crescimento da produtividade das actividades económicas das populações rurais.
Os segundo e terceiro prémios, estimados em nove milhões e oito milhões, foram dados à Karim Sory, devido a invenção de uma máquina designada "desnatadeira" produtora de manteiga de Karité, e à Jean-Marie Ky, devido a sua ideia de vulgarização das porções de terra para produção de canteiros.
O quarto prémio foi distribuido à Soungalo Koné devido a sua criação de uma incubadora rural a partir de uma acumulação de calor.
Koné disse que um diploma para a sua descoberta só é necessário se for vulgarizado a favor da grande massa.
Os quinto e sexto prémios foram outorgados à Hatte Dianda e à Jean-Marie Timpoudi, devido a sua descorta sobre a bomba de compressão e uma estufadeira de arroz.
Os sétimo e oitavo prémios foram entregues à Richard Kaboré e à Souleymane Sow, devido as suas descobertas do carrinho- cisterna e do carregador inteligente de pilhas solares.
Finalmente, o décimo prémio coube à Gafreh-Bobo, uma empresa, por causa do seu projecto de reciclagem de sacos plásticos usados.
No total, 60 milhões foram assim entregues a estes dez premiados entre os quais um Marroquino residente no Burkina Faso, aquando desta primeia edição da Feira de inovação para o desenvolvimento (FID).
O Marroquino Said Jebbour, que conquistou o nono prémio, apresentou uma bomba de pedal com motricidade animal.
Os dez finalistas que não foram felizardos receberam um prémio de encorajamento de 500 mil FCFA cada.
O vencedor do primeiro, Sphie Minoungou, explicou à PANA que a realização do seu projecto lhe permitirá diversificar os pratos locais, participar na segurança alimentar e na luta contra o desemprego.
O seu desejo é criar um centro de formação e uma unidade de produção com vista partilhar a sua experiência com os outros.
Minoungou, recorde-se, já tinha recebido o primeiro prémio da Organização africana da propriedade intelectual, segundo prémio da UNESCO e o primeiro prémio da quinta edição do Fórum de pesquisa científiaca e de inovação tecnológica, FRSIT) em Março de 2002.
Os organizadores da feira, nomeadamnte os representantes do Banco mundial e do PNUD, o director geral do Salão internacional do artesanato de Ouagadougou (SIAO), o representante da Concertação das instituições de apoio ao artesanato e aos PME(CIA/PME) e o ministro burkinabe do Comércio, da Promoção de empresas e do artesanato, desejaram a perpetuação desta manifestação.
O representante residente do Banco mundial, Jean Mazurelle, assegurou que a reedição desta feira depende do sucesso da primeira edição.
A Feira de inovação para o desenvolvimento (FID) realiza-se pela primeira vez em África depois do Perú, Tailândia e Ukrânia.
Faz parte do concerto descentralizado do "Development marketplace" do Banco mundial.
Este tipo de feira permite a muitos projectos locais beneficiar da atenção do "Development marketplace" que inclui um concurso de ideias à nível mundial.
O Banco mundial já permitiu, por este meio, o financiamento directo de 41 projectos inovadores por mais de 543 mil Dólares.

12 Dezembro 2002 16:20:00


xhtml CSS