Tentativa de assassinato do vice-presidente faz manchete no Gabão

Libreville- Gabão (PANA) -- A tentativa de assassinato do vice- presidente da República gabonesa, Didjob Divungi Di Ndinge, faz a manchete dos jornais publicados esta semana em Libreville, a capital do país.
O bimensal independente de informações e de opinião "Nku'u le messager", num artigo intitulado "le colis encombrant qui a fait tomber Pierre Claver Maganga Moussavou" (a bagagem embaraçosa que fez cair Pierre Claver Maganga Moussavou), tenta, apoiando com fotos, reconstituir os factos como se passaram segunda-feira, 20 de Janeiro de 2003, as 10h30.
"Enquanto o presidente e a sua delegação estavam a bordo de uma aeronave da Air Service que, na ponta da pista estava a todo gás para descolar, de repente surgiu um mini-autocarro de um bosque, ao longo da pista.
Este parou subitamente no meio da pista, a menos de cinco metros do avião.
Os ocupantes tiveram sorte porque os pilotos conseguiram dominar o aparelho antes de descolar", escreveu o jornal.
Segundo o "Nku'u le messager", o mini-autocarro foi reconhecido como pertencente a Maganga Moussavou e os seus ocupantes como militantes da sua formação política, o Partido social democrata (PSD).
"Maganga Moussavou vítima de uma conspiração" ?, interroga-se por sua vez o semanário independente "Le temps".
Este jornal estima que o líder do PSD terá sido vítima de uma conspiração orquestrada pelo Partido democrático gabonês (no poder) e pela Aliança democrática dos republicanos (ADERE) do actual vice- presidente.
Segundo o "Le temps", é a eleição para a liderança da Câmara municipal de Mouila (centro do país), onde estes factos ocorreram, que está na base desta "conspiração contra Maganga Moussavou".
Esta hipótese é partilhada pelo semanário independente "Le peuple" que escreve: "Quando o homem (Maganga Moussavou, nota da redacção) arrebata os 16 conselheiros nos bairros da capital da província de Ngounié, as coisas complicam-se.
Tornou-se o inimigo da velha guarda do sítio".
Defendendo a causa de Maganga Moussavou, o "Le peuple" estima que a cabala urdida contra o ministro demitido é fomentada por algumas personalidades conhecidas, entre elas o vice-presidente da República Didjob Divungi Di Ndinge".
Por sua vez, o semanário satírico "Le Nganga" realça na sua edição que "os dois homens fortes da Nguonié enfrentam-se para a liderança política na província".
Segundo o diário governamental "L'Union", a destituição de Maganga Moussavou do Governo de união nacional, no qual participava por parte da oposição moderada, está ligada a "sua implicação nos eventos de Mouila".

31 Janeiro 2003 16:38:00


xhtml CSS