TPI prevê inquéritos sobre crimes de Estado Islâmico na Líbia

Tripoli, Líbia (PANA) – A procuradora do Tribunal Penal Internacional (TPI), Fatou Bensouda, afirmou que a jurisdição vai abrir um inquérito sobre as alegações de crimes cometidos pela organização terrorista Daech (Estado Islâmico) na Líbia, precisando que convém primeiro aos países processar os seus cidadãos acusados destes crimes.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas pediu ao TPI, em 2011, para investigar sobre os crimes cometidos desde 2011 após a destituição do regime de Muamar Kadafi.

Bensouda, de nacionalidade gambiana, declarou, terça-feira no Conselho, que ela recebeu apelos para pedir contas sobre os  presumíveis crimes cometidos contra civis por grupos de obediência ao Daech, noticiou esta quarta-feira a imprensa líbia.

« A competência do gabinete do Tribunal Penal Internacional na Líbia é intuitiva  e estende-se a estes crimes alegados, mas acho que o princípio é que os Estados têm, primeiro, a responsabilidade principal do inquérito com os seus cidadãos que se juntaram ao  Daech e teriam cometidos crimes e de julgá-los », acrescentou Bensouda.

Combatentes leais ao Daech reivindicaram a responsabilidade pela maioria dos ataques contra os estrangeiros na Líbia este ano, nomeadamente o massacre de 21 cristãos egípcios em fevereiro último, suscitando raides do Egito em represália contra  o grupo terrorista na Líbia.

Em abril último, uma gravação vídeo do Daech mostrou a execução de quase 30 Etíopes na Líbia.

Em plena expansão na Líbia, o Daech ilustrou-se  por ações violentas espetaculares contra os Líbios, indo de ataques suicidas contra hotéis, postos de segurança, campos petrolíferos ou habitantes civis a assassinatos, aumentando o caos que reina no país desde 2011.

-0- PANA BY/IS/IB/FK/TON 13maio2015

13 Maio 2015 18:28:53


xhtml CSS