Sul-africano na presidência da União Mundial para Natureza

Dakar- Senegal (PANA) -- O ministro sul-africano do Ambiente e do Turismo, Valli Moosa, foi eleito presidente da União Mundial para a Natureza (UICN), um dos mais prestigiados e mais respeitados postos do movimento ecológico universal.
Moosa deverá dirigir e apoiar uma União de mil organizações governamentais e não governamentais durante os próximos quatro anos do seu mandato, indica um comunicado de imprensa publicado em Banguecoque, na Tailândia.
A nota indica que a UICN continua a aumentar o número dos seus membros e está empenhada em novos sectores incluindo o dos negócios, peocupando-se igualmente com as novas questões ecológicas tais como a redução da pobreza.
A eleição de Moosa traduz a confiança dos seus membros nas suas capacidades para aumentar a pertinência e o impacto da maior rede ecológica do mundo, indica o documento.
Na opinião do novo presidente da UICN, "a preservação da natureza preocupa todo o mundo.
Não podemos ter êxito neste domínio se não continuarmos a diversificar as nossas acções que devem implicar várias pessoas".
“Gostaria que cada um de nós estivesse cada vez mais consciente da questão relativa à preservação da natureza para que possamos integrá-la nos nossos costumes e nos nossos comportamentos para sempre", declarou Moosa logo após a sua eleição.
Valli Moosa, que substitui a equatoriana Yolanda Kakabadse Navarro, foi eleito durante o III congresso da UICN decorrido de 17 a 25 de Novembro, na capital tailandesa.
A Assembleia Geral da UICN elegeu ainda o tresoureiro da organização, os seis presidentes de comissões científicas e 24 conselheiros regionais que, em coloboração com o presidente, formam a instância dirigente da União.

26 Novembro 2004 10:28:00


xhtml CSS